Indico Capital Partners investe 46 milhões em startups tecnológicas

Fundo de Investimento para empresas tecnológicas
Foto: Pixabay

O maior fundo privado e independente Português destinado a empresas tecnológicas globalmente promissoras tem 46 milhões de euros para investir em startups. Este é o primeiro fundo de Venture Capital nacional, independente e privado, focado em investir nas fases iniciais de startups tecnológicas, e sediado em Lisboa, um dos centros tecnológicos em ascensão na Europa.

A Indico Capital Partners, sociedade de capital de risco portuguesa, acaba de anunciar o lançamento do seu primeiro fundo de investimento, o Indico Capital Partners VC I, com mais de 46 milhões de euros comprometidos por investidores de 8 países diferentes.

O fundo tem como objetivo identificar, investir e capitalizar as startups ibéricas mais promissoras, em particular as sediadas em Portugal. Com um foco geográfico definido, o fundo irá direcionar os seus investimentos em empresas que atuem em áreas como SaaS (Software as a Service) B2B, Inteligência Artificial, Fintech e Cibersegurança, mas também em Marketplaces e Plataformas digitais B2C.

Stephan Morais, Ricardo Torgal e Cristina Fonseca compõem a equipa de gestão da Indico Capital Partners

A equipa de gestão da Indico é composta por Stephan Morais (ex-Administrador Executivo da Caixa Capital), Ricardo Torgal (ex-gestor de investimentos na Caixa Capital) e por Cristina Fonseca (co-fundadora e acionista da Talkdesk) que reúne uma experiência ímpar de investimento no mercado nacional. Farfetch, Unbabel, Codacy e muitas outras histórias de sucesso em Portugal dos últimos seis anos, incluindo a Talkdesk, são alguns dos investimentos passados da equipa.

Para além do investimento, a equipa da Indico e uma especializada rede internacional de peritos acompanha e ajuda as empresas a alcançar os seus objetivos. A Indico conta ainda com um conjunto internacional de fundos de investimento parceiros, de primeira linha, na Europa e nos Estados Unidos, que são fundamentais para as subsequentes rondas de financiamento.

Ao investidor principal da Indico, o FEI (Fundo Europeu de Investimento, maior investidor institucional Europeu nesta classe de ativos), juntaram-se mais de 20 investidores institucionais e individuais para alcançar o first closing de 41 dos 46 milhões de euros comprometidos neste primeiro fundo (o fundo tem agora mais 12 meses para continuar a angariar capital). Deste grupo de investidores fazem parte a IFD (Instituição Financeira de Desenvolvimento) através do Portugal Tech que com este investimento formalizou a sua primeira operação, a Draper Esprit (um dos maiores fundos de Venture Capital mundiais que conta com investimentos como a Revolut), fundos de pensões, instituições de ensino e investigação, entidades gestoras de fortunas, empresários, gestores e empreendedores de tecnologia locais e internacionais.

Stephan Morais, Managing General Partner da Indico, afirma que “este é um marco para o ecossistema português; vamos continuar a apoiar as startups tecnológicas portuguesas mais promissoras, mas agora com uma plataforma de investimento estável, maior e independente, suportada por uma base de investidores global e diversificada”. Ricardo Torgal, General Partner da Indico salienta ainda que “Venture Capital e startups não são uma moda, é uma atividade profissional que visa construir um portfolio diversificado e estar presente quando as empresas precisam de ajuda para crescer e atingir uma nova fase”.

Já Cristina Fonseca, Venture Partner da Indico, acrescenta que “tenho apoiado muitas empresas ao longo dos últimos anos como mentora e business angel, por isso juntar-me à melhor equipa de investimento do mercado foi um passo muito óbvio, até para poder ampliar o meu impacto no ecossistema. É nesta fase inicial que ter apoio de pessoas experientes e acesso a uma rede global pode ser o fator decisivo para o sucesso.”

O fundo irá investir entre 150 mil e 5 milhões de euros por empresa (rondas pre-seed a série A e subsequentes) durante o seu período de vida de 10 anos. As empresas alvo do portfolio do fundo ambicionam tornar-se líderes globais na sua categoria. Os primeiros investimentos da Indico já foram concluídos e serão anunciados em breve.

O vice-presidente da Comissão Europeia e responsável pelo emprego, crescimento económico, investimento e competitividade, Jyrki Katainen, sublinha: “Saúdo este novo venture capital apoiado pelo Plano de Investimento. Irá dar às startups portuguesas o financiamento necessário para transformar as suas ideias em projetos concretos, para crescerem e criar emprego. Portugal é o terceiro beneficiário do Plano de Investimento, com quase 12.000 empresas a melhorar o acesso ao financiamento graças ao Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos”.

O presidente executivo do FEI, Pier Luigi Gilibert, salienta que: “Temos o prazer de fazer uma parceria com a Indico Capital Partners, com uma equipa que cria o seu primeiro fundo institucional e independente para encontrar e desenvolver boas oportunidades de investimento. No futuro, iremos continuar a focar-nos em investimentos semelhantes tanto em Portugal como em toda a UE, para permitir que a próxima geração de empreendedores se desenvolva”.

O fundo é investido pela InnovFin Equity, com o apoio financeiro da União Europeia ao abrigo dos instrumentos financeiros Horizonte 2020 e do Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (EFSI), criado no âmbito do Plano de Investimento para a Europa. O objetivo do EFSI é ajudar a apoiar o financiamento e a execução de investimentos produtivos na União Europeia e garantir um maior acesso ao financiamento. É também co-financiado pelo Fundo de Capital e Quase Capital (FC&QC) gerido pela IFD – Instituição Financeira de Desenvolvimento, S.A. ao abrigo do instrumento Portugal Tech gerido pelo Fundo Europeu de Investimento (FEI).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

twenty − nineteen =