Não existe empreendedorismo sem medo

Hoje foi um dia intrigante para uma nova missão. Há pouco tempo, dei-me conta de um novo sonho, uma provocação que me fiz e assumi que seria uma boa bandeira para colocar no mundo.

Essa parte é super empolgante – WOW tenho um novo sonho, vamos lá.

Na verdade é êxtase puro. Você começa a sonhar sobre as possibilidades desse sonho, as coisas fantásticas que espera alcançar e o que isso vai representar para si e para os outros. São tantas coisas boas que vêm ao pensamento que é quase uma festa ali dentro da sua cabeça. Outra coisa intrigante que também acontece é você saber que terá dificuldades, mas na euforia do momento, é muito fácil de pensar – Ok, vou encará-las.

Vamos falar a verdade, certamente todos já passámos por isso pelo menos uma vez. Você se sente como o Rocky, podem vir quantas porradas forem possíveis, mas você vai tornar a levantar para escrever uma das histórias mais belas que o mundo já viu. Até a dor que isso poderá causar-lhe o faz sorrir. Você está pronto.

‘Sonhos persistentes na verdade são sinais’

As startups quando começam a operar sofrem sempre alterações quando encontram a realidade. O nosso querido Steve Blank já dizia também que: ‘Nenhum plano resiste ao primeiro contato com o cliente.’ Desta forma tudo o que é pensamento, toma um choque quando confrontado com o mundo real.

Não existem planos perfeitos e ainda bem. Talvez muita da graça do empreendedorismo seja isso, mas concordo que não é fácil perceber de imediato a parte divertida. Já o que resulta muito nessa realidade são as adversidades e com elas, quase de mão dadas – O MEDO.

‘Nada vale a pena se você não sente um pouco de medo.’ Essa foi uma frase que uma vez li em algum livro e me marcou, mas hoje de uma forma mais forte ela voltou. nTinha definido, como falei no início do artigo, uma nova missão, extremamente complicada mas que nos meus primeiros pensamentos não parecia tanto. E olhe que já tendo feito muito isso, de pensar ideias e colocar em ação. Já estou acostumado a saber que vai ser sempre diferente. Quando ajudo outros empreendedores, também sempre vejo essa questão… No entanto, não adianta. O choque inevitavelmente acontece.

Nas primeiras atitudes relacionadas com essa ideia veio o danado do MEDO. Travei por um momento pensando no tamanho do desafio que tinha pela frente. Procurei colocar-me na pele de um alpinista. Tinha visto um documentário ótimo sobre isso por esses dias e eles falavam no quanto as grandes montanhas pareciam maiores, quando se chegava perto. Essa foi a mesma sensação que tive.

Tentei usar algumas técnicas para lidar com o MEDO que estava consumindo a minha mente naquele momento, até que me lembrei – Medo você vai ter de qualquer jeito, mas qual deles vale a pena vencer?

Foi quase como aquele banho quentinho depois de se ter molhado com a chuva gelada num dia frio, quando o seu corpo recebe aquele choque térmico gostoso, bom, muito bom…

Parei e fiquei pensando… Não conheço nada que não gere medo. Até as pessoas em segurança tem medo que ela acabe, ou que a sua rotina seja interrompida. Talvez apenas o Demolidor – o homem sem medo do seriado do Netflix – seja o único que está livre dele. Desconfio que não seja bem assim, mas tudo bem.

‘Se sempre vai ter algum medo, então que seja de algo que valha a pena fazer’

Essa foi a frase que me ajudou a decidir e mudar. Eu não virei o Demolidor da vida real, mas para mim o medo já não é tão terrível, nem tão cruel. Ele deixou de ser o travão da minha ação, é simplesmente alguém desagradável que está ali, ao meu lado, mas que dá para lidar.

O objetivo deste artigo é justamente provocar essa reflexão. Você pode estar querendo empreender com alto impacto – Startups – (torço para isso) e talvez esteja com algum medo. Talvez esteja mesmo bastante desanimado, tenho visto muita gente assim, com receio de tomar uma decisão… O que eu gostaria que você recordasse é: se for para ter um medo, qual você gostaria que fosse? Para qual atitude?

Essa reflexão me ajudou bastante, e espero que a você também.

Eu fiz esse vídeo sobre o medo para você:

COMPARTILHAR
Artigo anteriorGoverno recruta para a Web Summit
Próximo artigoIdeias de negócio: Partilhar ou não? Eis a questão
Bruno Perin
Bruno Perin, empreendedor, consultor, palestrante e escritor. Autor do livro – A Revolução das Startups. Pioneiro na combinação dos conhecimentos em Startup, Empreendedorismo, Marketing e Comportamento Jovem alinhado a Neurociência. Busca das formas mais diferentes, malucas e inusitadas possíveis desenvolver pessoas e negócios que façam a diferença no mundo, de jeito divertido, valorizando a vida e o agora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

four × five =