O Benefício: a startup que dá valor aos pequenos produtores

O Benefício iniciou a sua atividade no final de Outubro de 2016 com uma equipa de dois fundadores e 10 colaboradores, incluindo outras empresas. Incubado na Startup Lisboa tem a sua sede no OBITEC (Parque Tecnológico de Óbidos), onde o acesso a produtores certificados e de alta qualidade é mais elevado, facilitando a criação de novos produtos, ou incrementando a dinâmica de cross-selling entre produtores. Para 2017 têm como objetivo a expansão para seis mercados externos e a colocação de 25 edições correspondentes a 2500 unidades vendidas.

Nascida com a missão de desenvolver produtos de alto valor acrescentado, a empresa apenas coloca no mercado 100 unidades de cada produto produzido, com a marca Benefício e o rótulo personalizado, com a possibilidade de customização do nome e escolha de número de série e com a garantia que os produtos vendidos respeitam valores como o comércio justo, a ecologia e o impacto positivo na economia local.

O primeiro produto distribuído pela Benefício é uma garrafa de azeite, produzido através de métodos centenários e utilizando as características prensas hidráulicas de moinhos de granito. O objetivo é apresentar um produto de alta qualidade embalado de forma personalizada com rótulo impresso em serigrafia tradicional e manual a duas cores, com aplicação de cetim, lacrado e marcado com sinete manualmente, e individualizado com número de série únicos.

A visão estratégica e modelo económico da empresa, inspira-se na ‘economia de colmeia’, baseando-se no princípio e num processo de criação de valor assente na exploração não intensiva do talento. A analogia com a colmeia surge da necessidade da constante renovação de inúmeros produtos que no final criarão volume pela diversidade e não pela escala.

O regime de cocriação (distribuidor e produtor) permite, segundo os criadores do projeto, ‘não só alcançar a disrupção em termos de posicionamento da marca, mas também acrescentar valor ao desenvolvimento de novos produtos, pois parte das receitas alcançadas é reinvestida na capacidade de acrescentar valor e maior qualidade, incrementando a elasticidade do preço dos produtos manufaturados através da chancela do Benefício’.nNesta perspetiva, o Benefício assume-se como um agregador e curador, ‘que não esmaga quem cria e quem produz, mas acrescenta valor provocando uma disrupção no modelo do baixo custo’, sublinham os autores do projeto, que pretendem criar uma marca contemporânea, mas ‘ligada à sabedoria ancestral das coisas bem-feitas e com história’. Simultaneamente apostam na criação de uma linha de produtos de alta qualidade relacionados com a tradição portuguesa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

one × five =