O Guia definitivo para montar uma equipa de elite

Geralmente as pessoas que empreendem pela primeira vez, não entendem a importância dessa questão até começarem a sofrer as consequências e a ver que faltam pessoas diferenciadas para ajudar a cruzar as barreiras, enquanto a ampulheta do tempo, energia e dinheiro não para de correr.

Caso esteja pensando se a sua ideia é boa e deseja saber como a avaliar, veja este vídeo. Se já validou sua ideia, siga este Guia para perceber cada etapa e os cuidados que deverá ter.

‘A EXCELÊNCIA DOS GRANDES NEGÓCIOS É O REFLEXO DA EQUIPA, NÃO DA IDEIA.’

O QUE TEM PARA OFERECER

É preciso ter muito claro o que você pode dar às pessoas para trazê-las à equipa. Essa, por sinal, é sempre a primeira pergunta que as pessoas lhe farão quando receberem o convite. Algumas talvez até tenham vergonha de perguntar, mas certamente estarão pensando nisso. Portanto, tenha claro o que tem para negociar, isso permite-lhe saber até onde pode e deve ir nas negociações.

DINHEIRO – é o fator numero um. Claro que geralmente os empreendedores, quando começam, têm muito pouco para oferecer. Então é fundamental deixar claro o quanto pode pagar, ou se existe um salário fixo com bónus ou comissão. As pessoas quando vão para startups sabem que os salários mais baixos, mas na expectativa que no futuro isso poderá mudar se o negócio resultar, elas vão querer entender a sua opinião sobre isso.

PARTICIPAÇÃO – é a maior moeda que as Startups têm para dar, pois quando alguém entra para a sociedade, ficam juntos para o bem e para o mal. Os humanos só pensam no que acontecerá de bom mas, muitas vezes, as coisas não correm bem e os sócios ficam juntos para o pior.

Lembre-se também que quando há muitos sócios, há também maior probabilidade de gerar grandes conflitos e isso gera ainda algumas questões complexas quando alguém quer sair da sociedade, ou se alguém fizer asneira. Portanto é imprescindível ter muito cuidado a quem se oferece percentagem de participação e as responsabilidades que essa pessoa tem.

CURRÍCULO – jovens que estão no início de carreira, ou ainda na faculdade, e que querem muito aprender novas atividades para acrescentar ao seu currículo, são de grande utilidade para o seu projeto. Além da carta de recomendação e outras coisas que ajudem a valorizar sua história profissional, podem ser interessantes para os atrair para a sua equipa.

ESTRUTURA – algumas pessoas não têm local para trabalhar e aceitam dispor do seu conhecimento e energia em troca de poderem usufruir do espaço ou estruturas do seu negócio. Pode ser um pouco mais difícil essa parceria, pois as pessoas tendem a não terem tanto tempo e energia para dispor para o seu negócio, pois estão com o foco em outros planos, mas ainda assim pode ser uma alternativa a ponderar.

NÃO ESQUEÇA QUE TODAS AS PESSOAS QUE ENTRAM PRECISAM SABER;

  • O que irão fazer;
  • Quais as responsabilidades;
  • Como serão cobradas;
  • Como poderão evoluir;
  • O que não podem fazer.

QUEM PRECISA:

MERCADO – quando alguém entende com profundidade o mercado, a oportunidade de criar algo que realmente tenha utilidade é muito maior. Precisa de quem saiba analisar o que está a acontecer, aproveitando as oportunidades e abrindo portas para o negócio.

DESENVOLVIMENTO – você vai ter que criar algo, seja serviço ou produto. Precisa de alguém que seja capaz de entregar isso aos clientes.

BUSINESS – é muito comum as pessoas perceberem oportunidades no mercado, mas não sabem como fazer disso um negócio. Como construir um modelo de negócio e fazer a roda girar. Pessoas que entendem isso potencializam a criação de uma empresa.

No início, essas 3 pessoas são essenciais para que você crie um protótipo, algo que possa testar sua ideia e aprender rápido com ela.

Este vídeo explica um pouco mais sobre como escolher as pessoas certas:

OS PRÓXIMOS PASSOS:

A evolução do negócio vai depois exigir pessoas com habilidades mais específicas. Geralmente os próximos a entrar são:

MARKETING – quando o produto ou serviço tem aceitabilidade surge a necessidade de trabalhar mais a sua divulgação, no entanto também começa a notar-se de se impor face à ofertas da concorrência. Um profissional que saiba encontrar o rumo nessa estrada é importantíssimo.

ANÁLISE – muitas vezes algumas pessoas de BUSINESS ou DESENVOLVIMENTO até podem saber fazer análises, mas em breve será necessário alguém que a complemente com mais profundidade para que possa interpretar o que está acontecendo com os indicadores corretos e gerando decisões mais precisas.

VENDA – é o que faz a empresa sobreviver. Com o negócio girando, a entrada e saída de dinheiro começará a ser uma constante e o capital é importante para que o crescimento possa existir. Pessoas pensando apenas em gerar receita é parte indispensável.

FINANÇAS – Muitas vezes, serviços e produtos mais simples ou de valor agregado baixo, têm mais entradas e saídas de dinheiro, o que requer uma atenção maior nas transações. No entanto, até aqueles com valor maior e movimento menor, também têm complexidades de crédito, débito, atrasos de pagamentos, e gestão de salários além de muitas outras coisas. Ter alguém a cuidar disso começa por ser um alívio, mas é estratégico.

Claro que muita dessas tarefas podem ser terceirizadas, mas geralmente os empreendedores, tendem a ir colocando na empresa pessoas com as quais se identifiquem e ajudem a construí-la.

QUE CRENÇAS SÃO VITAIS?

Você está lendo isso justamente por compreender que ideias geniais são construídas apenas por equipas geniais, portanto, para conseguir construir isso é fundamental saber o que é vital nessa equipa. São pessoas orientadas para o resultado ou para a missão? São pessoas ambiciosas ou com desejos mais simples?

‘É DIFÍCIL ENCONTRAR PESSOAS, PRINCIPALMENTE QUANDO VOCÊ NÃO SABE QUEM QUER QUE ESTEJA NA SUA EQUIPA.’

QUE CARACTERÍSTICAS COMPLEMENTARIAM A SUA EQUIPA?

As crenças são aquilo que vocês têm e precisam que as outras pessoas também tenham. No entanto, existem habilidades e características que podem ser muito interessantes agregar à equipa porque ela não as tem.

Vocês têm o perfil mais sonhador e precisam de alguém ‘com os pés na terra’ para ajudar a não permitir que ousem tantos planos? Vocês são muito organizados, mas falta a iniciativa? É muito bom perceber que tipo de habilidade equilibraria as coisas na sua equipa.

E saiba que esse é realmente um processo difícil, você vai levar algumas ‘porradas’, mas isso faz parte. Eu, por exemplo, aprendi a lidar com isso levando um soco no boxe.

ATÉ ONDE VAI?

Este Guia vai ajudá-lo muito na hora de olhar para as pessoas que estão consigo, ou que deve procurar no mercado. Claro que são pessoas, e por causa disso têm grandes probabilidades de falhar. Departamentos gigantes de multinacionais, com superespecialistas e softwares complexos às vezes erram nas contratações, imagine nós… Mas, que isso não sirva de motivo para não levar esta situação a sério. Teríamos muito menos fracassos no empreendedorismo se as pessoas levassem mais a sério a construção das equipas.

Espero que dê ainda mais atenção a isso e construa uma equipa de elite para o seu negócio.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorMudança e Coaching
Próximo artigoEscolhidos os finalistas ao Prémio Montepio Acredita Portugal
Bruno Perin
Bruno Perin, empreendedor, consultor, palestrante e escritor. Autor do livro – A Revolução das Startups. Pioneiro na combinação dos conhecimentos em Startup, Empreendedorismo, Marketing e Comportamento Jovem alinhado a Neurociência. Busca das formas mais diferentes, malucas e inusitadas possíveis desenvolver pessoas e negócios que façam a diferença no mundo, de jeito divertido, valorizando a vida e o agora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

11 + 3 =