Os obstáculos contra a força de um sonho

No entanto, eu estava apenas no início do caminho e precisava de competências em diversas áreas (design gráfico; marketing; fotografia e gestão), para poder prosseguir com o projeto. Foi nesta altura que ‘convenci’ alguns amigos para formarmos uma equipa multidisciplinar e posteriormente concorrermos ao Acredita Portugal. O objetivo era melhorar o projeto e obtermos financiamento, mas ficámos pela penúltima fase.

Ainda a acreditar no projeto, concorremos ao Passaporte para o Empreendedorismo, onde a ideia foi aprovada, mas a bolsa foi apenas concedida à promotora. Contudo, esta bolsa permitiu continuar a investir e a trabalhar na ideia de negócio. Os workshops ministrados por esta entidade foram uma mais-valia, pois permitiram adquirir conhecimentos em diversas áreas e muitos contactos. Para além desta bolsa tivemos oportunidade de usufruir de assistência técnica em várias vertentes, mas a demora dessa assistência e o ‘standby‘ do trabalho desmotivou a equipa, uns afastaram-se por este facto e outros começaram a trabalhar por conta de outrem.

No entanto, apesar de todos os obstáculos, continuámos a trabalhar e enquanto a assistência técnica não chegava, optámos por ‘dar a volta’ ao projeto e lançar um portfólio online com calçado casual, o que gerou visibilidade, procura e interesse na marca. Quando chegou a assistência já tínhamos um know how diferente e muitos contactos na área para prosseguir com a ideia inicial.

Durante todo este percurso foi possível cativar o interesse no projeto e muitas chamadas e reuniões foram acontecendo. O contacto com Consultores, Podologistas, Fabricantes, Fornecedores, Professores e Especialistas da área, veio enriquecer o projeto e gerar conhecimento, o que abriu de forma natural outras portas. O importante é não ‘baixarmos os braços’, mesmo que não seja o percurso que idealizámos, temos que contornar e continuar a batalhar.

Através do percurso alternativo surgiu a oportunidade de lecionar no curso de Design de Calçado do IPCA (onde fiz todo o meu percurso académico). Para além de ensinar e apelar à consciencialização dos alunos para a importância de desenvolverem produtos seguros, tenho o privilégio de aprender com alunos, professores e colegas. Desta nova etapa surgiram outras oportunidades, a credibilidade foi aumentando, e assim foi possível reunir parcerias e encontrar um investidor para o projeto.

Com tudo isto, a mensagem que pretendo passar é que se fizerem algo com paixão, algo em que realmente acreditam, isso passa para as outras pessoas automaticamente e o caminho vai-se desenrolando como que por magia. Apesar de não existirem recursos é possível criar oportunidades, mas tudo isto só é possível com muito trabalho e muita persistência.

Mesmo que muitas vezes alguém nos desmotive – às vezes até entidades que nos deveriam apoiar e motivar – não podemos desistir, pois é provável que mais dia, menos dia, essas mesmas entidades estejam afinal a trabalhar com ‘ideias idênticas’, que agora sim, já são boas.

Também é provável que mesmo com as vossas ideias registadas, alguém ‘maior’ se ‘inspire’ e comece a desenvolver produtos semelhantes. Mas os obstáculos contra a força de um sonho estarão sempre em desvantagem, principalmente quando um dos principais ‘ingredientes’ é a persistência e, o ‘motor’, o coração.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

seven − 1 =