Portugueses receiam dificuldades financeiras em caso de novo confinamento

Imagem de btaskinkaya por Pixabay

40% dos portugueses acreditam que não irão sobreviver financeiramente em caso de ser decretado novo Estado de Emergência ou Confinamento, temendo mesmo não aguentar mais de dois meses com a vida profissional e os negócios estagnados.

No inquérito realizado pela Fixando, no âmbito de uma eventual implementação do Estado de Contingência, 62% dos inquiridos acredita que os negócios dos portugueses serão afetados por um novo período de confinamento, com 28% defendendo que essa medida é prejudicial para a economia nacional.

Com base nos rendimentos atuais,  68% dos portugueses afirmam ainda que o seu emprego ou negócio foi afetado pela pandemia, sendo que, em média, provocou uma quebra mensal na ordem dos 978 euros no rendimento.

A maioria dos inquiridos (82%) receia que o seu atual emprego seja impactado pela pandemia num futuro próximo, numa altura em que mais de 409 mil portugueses se encontram inscritos nos centros de emprego, significando um aumento de 34% em comparação com o ano anterior.

Numeros que não são muito diferentes dos registados pela Fixando. A plataforma portuguesa para a contratação de serviços registou também um crescimento de inscrições de profissionais, na ordem dos 37% até agosto de 2020, em comparação com igual período de 2019.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

16 − two =