SMART OPEN LISBOA: bootcamp arranca com 20 equipas

A iniciativa da Câmara Municipal de Lisboa visa a cedência de dados recolhidos pelos serviços públicos e do município e colocando-os ao dispor das startups concorrentes, para que possam contribuir para uma cidade melhor, mais inteligente e mais eficiente.

O ‘bootcamp’ é a segunda fase de seleção, depois do ‘Startup Challenge’, onde 35 equipas tiveram oportunidade de apresentar os seus projetos. Agora as 20 equipas com os projetos mais inovadores vão preparar-se para uma nova eliminatória que, a 15 de maio, irá decidir as 10, ou 15, startups que vão efetivamente participar no programa.

O Smart Open Lisboa apresenta-se como um dos pilares da estratégia de inovação da cidade. O programa ambiciona promover a utilização de Dados Abertos em Lisboa (Open Data), oferecendo aos participantes condições únicas para poderem desenvolver soluções inovadoras para problemas do dia-a-dia dos cidadãos.

‘Este projeto enquadra-se no esforço para tornar mais inteligentes os sistemas de gestão das cidades, com vantagens para as pessoas e para a sua qualidade de vida no quotidiano, através de soluções práticas’, adianta Manuel Tânger, Head of Innovation & Corporate Acceleration da Beta-i, a entidade que coordena a componente formativa.

Além da Câmara Municipal de Lisboa, a iniciativa conta ainda com o apoio do Turismo de Portugal, Portugal Telecom, Cisco, Grow Mobility (by Brisa), EPAL e Masai, e vai disponibilizar dados da EMEL, Carris, Transtejo, Ministério do Ambiente ou Porto de Lisboa, por exemplo.

O objetivo é transformar Lisboa num laboratório vivo de inovação, e fazer de Lisboa uma cidade que aposta na criatividade e no empreendedorismo, para melhorar a qualidade de vida das pessoas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

3 + 19 =