Smart Open Lisboa testa inovação

As nove equipas com projetos aprovados para o Smart Open Lisboa (SOL), iniciaram a fase de Experimentação, onde vão testar as suas soluções em ambiente real. O arranque foi marcado por uma cerimónia de Kick-off na sede da Câmara Municipal de Lisboa, no dia 12 de setembro, onde os representantes das startups envolvidas descreveram os seus projetos e objetivos.

O Smart Open Lisboa é um programa inovador que pretende melhorar a cidade de Lisboa promovendo a utilização de Dados Abertos (Open Data) para o desenvolvimento de soluções para problemas do dia-a-dia dos cidadãos. As startups participantes desenvolvem os seus projetos a partir de dados recolhidos por diversas entidades e empresas da cidade de Lisboa, entre as quais EMEL, Carris, Transtejo, EPAL, Ministério do ambiente ou o Porto de Lisboa.

As 9 startupsnAs equipas que vão desenvolver soluções a partir dos Open Data de Lisboa são:

  • aidHound – Uma aplicação desenhada para ajudar voluntários no terreno a estar em contacto com os sem-abrigo e outras comunidades desfavorecidas, utilizando dados de georreferência;n
  • Fi-sonic – Processa e analisa o som da cidade, através de uma rede de micros multi-direccionais em vários pontos da cidade. Problemas como o excesso de ruído, acidentes, gritos de ajuda, assaltos, pequenos sismos, tudo fica registado, o que permite gerar depois soluções integradas para a cidade. Enquanto as câmaras de vigilância só ‘olham’ para um certo ângulo, estes micros ‘ouvem’ a 360º;n
  • eKoneksa – Esta solução permite a monitorização dos níveis de consumo de energia dos edifícios em tempo-real, gerando relatórios, identificando pontes fortes de poupança, e gerindo operações de manutenção, tudo através de uma mesma plataforma;n
  • Visor.ai – Propõe-se combater o isolamento dos idosos, recorrendo a soluções tecnológicas;n
  • Optishower – Esta startup pretende reduzir o consumo de água e energia, recorrendo a técnicas de gamificação;n
  • Load Interactive – Equipa multidisciplinar, focada no desenvolvimento de soluções smart, web e de mobilidade, com enfoque no design e usabilidade;n
  • Medcore – Startup dedicada a encontrar soluções para um envelhecimento ativo;n
  • Bclose – Plataforma digital que agrega de forma simples e intuitiva diversos dispositivos tecnológicos nas componentes de segurança, saúde, bem-estar e gestão de energia num único software.n
  • 360waste – Serviço para a gestão da recolha de resíduos, permitindo um planeamento mais eficiente, economia de recursos e a diminuição do volume de poluição, bem como a deteção e alerta em caso de incêndio em contentores, bem como possíveis quedas ou danos.

    Passada a fase de Experimentação as startups entram no mercado para procurar parceiros, clientes e investidores. Independentemente do sucesso de cada uma , todas as equipas participantes vão ter acesso ao WebSummit, onde uma das conferências será dedicada ao universo Open Source.

    Com esta iniciativa, o município pretende transformar Lisboa num laboratório vivo de inovação que aposta na criatividade e no empreendedorismo para melhorar a qualidade de vida das pessoas.

  • DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor escreva o seu comentário!
    Por favor coloque o seu nome aqui

    eighteen − 8 =