Tecnologia: Mercado de fusões e aquisições em queda em 2023

Imagem de Tartila em Freepik

O mercado global de fusões e aquisições (M&A) enfrentou um declínio significativo em 2023, atingindo o valor de 3,2 biliões de dólares, marcando o seu nível mais baixo numa década. Este cenário foi mais acentuado no setor tecnológico, conforme destaca o sexto relatório anual global de M&A da Bain & Company, que lança luz sobre os desafios e oportunidades que moldam o panorama das transações corporativas em todo o mundo.

Segundo o relatório, os negociadores enfrentaram “um ambiente complexo, caracterizado por altas taxas de juros, um maior escrutínio regulatório e sinais macroeconómicos mistos”. Além disso, os múltiplos operacionais atingiram o seu ponto mais baixo dos últimos 15 anos, refletindo a cautela entre os investidores e potenciais vendedores.

Especificamente no setor de tecnologia – uma das indústrias mais dinâmicas e promissoras – o volume de negócios registou uma queda de 26% nos primeiros 10 meses do ano, com uma diminuição ainda mais acentuada de 59% em valor. Essa tendência preocupante sugere uma necessidade urgente de adaptação e reestruturação dentro do setor, à medida que as empresas enfrentam desafios significativos no ambiente de negócios global em rápida mudança.

No entanto, apesar dos desafios enfrentados em 2023, há sinais de esperança para o futuro. O relatório da Bain & Company aponta que muitos ativos que não foram negociados no ano passado devem alimentar as negociações ativas em 2024. Espera-se que a estabilização das taxas de juros crie um ambiente mais favorável para os compradores, impulsionando a competição por ativos valiosos.

Álvaro Pires, sócio da Bain & Company em Lisboa, expressou otimismo em relação às oportunidades que se avizinham sublinhando a esperança de que “À medida que as taxas de juro estabilizam, esperamos que o mercado reanime e nessa altura haverá um aumento na concorrência por ativos”. Ele ressaltou a importância de uma devida diligência comercial adequada para identificar sinergias entre receitas e custos, destacando a necessidade de uma abordagem estratégica e cuidadosa para concluir operações bem-sucedidas.

Cira Cuberes, outra sócia da Bain & Company, observou que períodos de incerteza muitas vezes são catalisadores para a inovação e o crescimento, prevendo um aumento no número de negócios em 2024, impulsionado pela disponibilidade de ativos para negociação. No entanto também alertou para desafios adicionais. “O cenário apresenta algumas dificuldades, como processos cada vez mais morosos de aprovação regulatória em operações sensíveis. Por esta razão, as empresas que ponderam transações em larga escala devem ser determinadas.”

No cenário global, diferentes setores enfrentam desafios únicos e oportunidades distintas em 2024. A tecnologia continua a ser uma área de interesse, apesar da recente desaceleração, enquanto a saúde e ciências da vida mostram sinais de resiliência e crescimento contínuo. Setores como energia e recursos naturais, assim como aeroespacial e defesa, também enfrentam mudanças significativas e oportunidades emergentes em meio às complexidades do cenário atual.

Embora 2023 tenha sido um ano desafiador para o mercado de fusões e aquisições, as perspetivas para 2024 trazem um renovado senso de otimismo e oportunidade. À medida que as empresas se adaptam e respondem aos desafios em evolução, o relatório sublinha que há espaço para crescimento, inovação e transformação dentro do cenário das transações corporativas globais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

7 − six =