Tendências para o Franchising em 2021

Foto de Mikhail Tyrsyna no Unsplash

A atividade do franchising em Portugal deverá recuperar em 2021, depois de um ano de pandemia que levou muitos franqueados a fechar, afetados não apenas pelo confinamento do comércio mas sobretudo porque um significativo número de franquias está relacionado com a atividade turística, uma das mais penalizadas em 2020.

Segundo os Censos de Franchising, realizados pela Associação Portuguesa de Franchising (APF), no ano de 2019 a atividade registou, em Portugal, um volume de negócios de mais de 11 milhões de euros, valor que corresponde a 5,8% do PIB nacional e que representa 2,3% do tecido empresarial português.

O estudo, agora publicado pela APF ainda não reflete os números de 2020, mas para Cristina Matos, CEO da APF, este resultado “está relacionado com o crescimento verificado em 2019 ao nível do consumo interno e com uma grande dinâmica no turismo, que registou números expressivos de visitantes estrangeiros. Ambos foram impulsionadores determinantes da nossa economia, não só para o aumento do produto interno bruto, como também para o aumento do emprego no nosso país”.

Para 2021, a APF acredita numa retoma no setor e antecipa as oito tendências para o mercado de Franchising em Portugal.

O franqueador irá dar suporte mais personalizado ao franqueado – O franqueador sabe que os seus franqueados são diferentes em tamanho e necessidades de suporte. Por isso, prevê-se que 2021 verá um apoio mais personalizado a cada franqueado, de acordo com as suas necessidades, experiência e concorrência.

Crescimento de dentro da rede – É muito comum assistir, em redes de franchising, a que os novos franqueados venham de dentro da própria rede. Isto é possível graças a uma cultura que promova a oportunidade de desenvolvimento de carreira dentro da própria rede. Esta é uma tendência que pode vir a crescer em 2021.

Foto de Geri Chapple no Unsplash

Os franqueados mais fortes vão prosperar – A pandemia levou a que muitos negócios – especialmente as pequenas empresas – encerrassem as suas portas e não resistissem. No entanto, os franqueados têm uma melhor oportunidade de sobrevivência pelo acompanhamento constante que têm do seu franqueador. Contudo, alguns franchisados mais pequenos poderão fechar portas ou ser vendidos, o que fará com que os franqueados mais fortes tenham mais oportunidades de expansão.

Justiça social e maior transparência – Hoje em dia, as equipas exigem saber onde estão a ser aplicados os fundos e uma das tendências é exatamente essa – maior transparência por parte do franchisador sobre onde é gasto, neste caso, o dinheiro dos royalities e taxas de marketing, por exemplo. No entanto, poderemos assistir a mais responsabilidades por parte das empresas no âmbito da sustentabilidade e responsabilidade social.

Suporte de rede direcionado para clientes – Os franqueados são, geralmente, muito fortes nos aspetos operacionais. Contudo, uma grande maioria ainda sente dificuldade em reter e aumentar a sua base de clientes. Será importante que o franqueador explique os fundamentos de marketing e os padrões de compra do cliente, no sentido de ajudar os seus franqueados a melhorar os seus negócios e aumentar as vendas.

Reforço do digital – A quarentena veio provar a todos os negócios que o online veio para ficar. Como tal, as reuniões dentro da rede irão, com certeza, manter muito do seu formato online, o que facilita a agenda de todos os envolvidos. É um formato mais económico e que permite também envolver todos os participantes, incluindo em formações para franqueados e franqueadores.

Desempenho orientado por métricas – Cada vez mais, as empresas têm acesso a todos os dados e métricas em tempo real. Por isso, os franqueadores estão a adaptar-se a essa realidade e a investir em tecnologia que permita acompanhar, também em tempo real, as principais métricas financeiras da rede mas também em relatórios mais detalhados sobre os hábitos dos seus clientes.  Bem analisadas, estas ferramentas ajudam a desenvolver estratégias que tornam a rede mais lucrativa.

Millenials vão estar mais presentes – Em 2021 prevê-se que a geração dos Millenials esteja cada vez mais presente, até mesmo em papéis de liderança. São pessoas com ideias frescas e flexibilidade. Contudo, são uma geração que comunica, tendencialmente, menos verbalmente e mais por escrito. A relação entre os Millenials e as gerações mais velhas poderá gerar alguns atritos na comunicação, o que exigirá que os franqueadores estejam atentos e disponíveis para ajudar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

2 × one =