Turismo em África: Investir na Recolha de Dados para Acelerar o Desenvolvimento

recolha de dados estatísticos é essencial para o turismo africano
Foto de Freepik

A Nova SBE WiTH Africa lançou um relatório que destaca a acessibilidade de dados relacionados com o turismo em África. Seis países africanos emergiram como líderes no acesso a dados estatísticos do setor turístico, com Cabo Verde, África do Sul, Marrocos, Tunísia, Tanzânia e Maurícias a liderar o caminho em disponibilidade e atualização de dados.

O relatório, intitulado “Ecossistema de Dados do Turismo em África – Desafios e Oportunidades para um Crescimento Sustentável“, avaliou o estado do fornecimento de dados pelas agências nacionais de estatísticas de cada país africano, bem como a análise dos dados de turismo disponíveis, a frequência de publicação e os websites onde estão disponíveis.

Os resultados mostram que os países situados nos extremos norte e sul de África lideram em termos de acessibilidade de dados estatísticos. Marrocos e Tunísia, na região norte, destacam-se por oferecer dados altamente acessíveis e atualizados. Na região sul, a África do Sul lidera, disponibilizando relatórios estatísticos anuais.

No entanto, as diferenças regionais são notáveis, com a República Centro-Africana e o Gabão, na África Central, apresentando falta de dados de turismo. Na África Ocidental, Cabo Verde lidera em acessibilidade de dados, seguido por Burkina Faso e Serra Leoa. No leste do continente, Tanzânia e Maurícias destacam-se pela acessibilidade, enquanto a Somália e o Burundi enfrentam desafios na atualização de dados.

“Os dados são a chave essencial para compreendermos o impacto e os potenciais de uma indústria como o turismo” sublinha Sérgio Guerreiro, Professor Adjunto da Nova SBE e membro fundador do WiTH Africa. O potencial da tecnologia e da digitalização pode acelerar o desenvolvimento dos países africanos, e o investimento em capacidades de recolha de dados pode contribuir para uma verdadeira transferência de conhecimento e tecnologia.

“Vivemos atualmente num mundo em que as oportunidades da tecnologia e a digitalização da economia podem prover uma enormidade de novas fontes de dados que nos podem ajudar a preencher estas lacunas e a alcançar um progresso significativo no conhecimento do setor do turismo em qualquer país no mundo”, salientou.

As plataformas de partilha de dados, como a Open Data for Africa (ODFA), e organizações como a OMT têm desempenhado um papel crucial na promoção da partilha de informações entre os países africanos. No entanto, o relatório enfatiza a necessidade de investir no desenvolvimento de competências para simplificar os processos de recolha, análise e divulgação de dados, tornando-os mais acessíveis e relevantes para todas as partes interessadas.

A plataforma WiTH Africa foi lançada em março de 2022, pela Nova SBE e atua como um ecossistema de dados para as áreas do Turismo e Hospitalidade, tendo como foco a criação e preparação de líderes e empreendedores africanos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

ten − three =