Bootcamps de programação geram oportunidades de emprego

Foto de website Ironhack

Escola de formação Ironhack divulga relatório que analisa as taxas de colocação dos alunos que tiraram cursos nos primeiros seis meses de 2019, Mais de 75% dos estudantes desses bootcamps de programação em Portugal conseguiram emprego em menos de 90 dias.

Perante a crescente procura por profissionais na área tecnológica, impulsionada ainda mais pela conjuntura da pandemia, em que a transformação digital se tornou uma prioridade estratégica para as empresas, a Ironhack, escola líder em formação em tecnologia, produziu um relatório, auditado pela PwC, que analisa as taxas de colocação, a nível global, dos seus cursos de Web Development e UX/UI Design nos primeiros seis meses de 2019. No total, foram considerados 829 alunos, que realizaram bootcamps em regime full-time (9 semanas) e part-time (24 semanas) nas nove escolas espalhadas pelo mundo.

Atualmente, os bootcamps são uma opção com cada vez mais saída para quem quer adquirir novas competências tecnológicas após ter tirado um curso superior ou reorientar totalmente o seu percurso profissional para o universo da tecnologia. A Ironhack constitui, assim, uma alternativa ao sistema de educação formal, contribuindo para fazer face à significativa escassez de talento nesta área que se verifica no panorama nacional, onde a Randstad estima existir um intervalo de 14 a 19 mil vagas por preencher.

Dados globais do relatório indicam que 96% dos alunos concluiu os respetivos cursos, sendo que 70% conseguiu emprego até três meses depois e 89% até seis meses após o término da formação, números semelhantes ao ano anterior que comprovam a necessidade de talento especializado em tecnologia. Entre as empresas que mais contrataram alunos nos nove países onde a Ironhack tem presença estão a Siemens, o BBVA, a Capgemini e a Indra.

Em Portugal, dados referentes às taxas de colocação do curso de Web Development revelam que os 250 alunos inscritos na escola de Lisboa completaram a formação com sucesso. Destes, cerca de 77% conseguiu emprego na área nos 90 dias seguintes, valor que chega aos 92% quando se consideram os 180 dias seguintes.

De acordo com Álvaro González, diretor-geral da Ironhack Lisboa, “os dados voltam a comprovar como este modelo de educação alternativo permite aos alunos ter, em menos tempo, experiência prática em projetos reais que os ajudam a criar portfólios competitivos e adaptados às necessidades do mercado. Há cada vez mais empresas que recrutam em bootcamps porque estão cientes da qualidade do talento, que possui competências atualizadas que vão muito além de um diploma”.

Relativamente ao curso de UX/UI Design, que não se realizou em Lisboa na primeira metade do ano passado, foram 322 os alunos que optaram por este domínio nos restantes campus da Ironhack (Madrid, Barcelona, Paris, Amesterdão, Berlim, Miami, São Paulo e Cidade do México). Dos que terminaram a formação, 67% encontrou emprego no primeiro trimestre e 86% no primeiro semestre pós-bootcamp.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

three + 7 =