CERN: Cientistas portugueses contribuem para projeto que pode reescrever as leis do universo

Foto de rawpixel.com no Freepik

Portugal está a desempenhar um papel crucial num projeto inovador que pode revolucionar nosso entendimento das leis fundamentais do universo. Cientistas portugueses, em colaboração com o Laboratório Europeu de Física de Partículas (CERN), estão envolvidos em experiencias que podem fornecer evidências cruciais para a existência de partículas além das previstas no Modelo Padrão.

Recentemente, foi alcançada a primeira prova de um comportamento raro do Bosão de Higgs, considerado um dos pilares da física moderna. Os pesquisadores testemunharam o decaimento dessa partícula num bosão Z e um fóton, revelando a existência de uma nova partícula consistente com o Bosão de Higgs. Esta descoberta tem o potencial de redefinir a nossa compreensão sobre a formação do universo e é considerada um avanço histórico pelo diretor-geral do CERN, Rolf Heuer.

O ISQ (Instituto de Soldadura e Qualidade), em Portugal, tem sido um parceiro fundamental nesse projeto, colaborando com o CERN ao longo de seis anos. O ISQ desempenhou um papel crucial no desenvolvimento de atividades em vários países, incluindo Inglaterra, França, Alemanha, Espanha, Portugal e Itália, no que diz respeito ao fabrico de componentes e montagem dos Cryo Dipoles necessários para completar o anel de 27 quilómetros do acelerador conhecido como Large Hadron Collider (LHC).

As responsabilidades do ISQ envolveram uma ampla gama de atividades, desde a revisão das especificações técnicas da qualidade dos magnetos criogénicos até a consultoria na organização do Sistema de Garantia de Qualidade do CERN para o projeto. O ISQ também foi responsável pela inspeção da qualidade de fabrico dos magnetos criogénicos, incluindo cabos, magnetos supercondutores, criostatos e componentes criogénicos, bem como pela sua instalação no CERN e no próprio túnel do acelerador.

Este projeto contou com a participação de 26 engenheiros e inspetores altamente qualificados do ISQ em diversas especialidades, que dedicaram mais de 200 mil horas a inspeções e testes de qualidade.

A contribuição dos cientistas portugueses para o projeto do CERN é um testemunho do notável talento e qualificações existente em Portugal. Com esta parceria, o ISQ tem reforçado a posição do país na vanguarda da pesquisa científica internacional e demonstra o compromisso do país em contribuir para descobertas científicas de importância global.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

1 + sixteen =