Combater o COVID-19 a partir do espaço

Ilustração de website ESA Copernicus

A competição internacional Copernicus Masters vai premiar produtos e serviços inovadores que utilizem dados de observação da Terra obtidos pelo satélite europeu Copernicus. Em tempo de pandemia, a competição encoraja as empresas a participarem com projetos que possam apoiar a luta contra a COVID-19.

O Instituto Pedro Nunes (IPN) desafia as empresas portuguesas a participarem na competição internacional Copernicus Masters, que vai premiar produtos e serviços inovadores que utilizem dados de observação da Terra do satélite europeu Copernicus. As candidaturas decorrem até ao dia 30 de junho.

O Copernicus Masters é uma iniciativa organizada pela AZO – Space of Innovation e pela Agência Espacial Europeia. O objetivo é dar resposta a importantes desafios atuais de áreas tão diversas como a saúde, energias renováveis, proteção ambiental, agricultura inteligente, gestão de catástrofes, cidades inteligentes, de entre outras. Em tempo de pandemia, a competição encoraja especialmente as empresas a participarem com projetos que possam apoiar a luta contra a COVID-19.

O Copernicus é o Programa de Observação da Terra da União Europeia, que analisa o nosso planeta e o seu ambiente, em benefício de todos os cidadãos europeus. O programa oferece serviços de informação baseados na observação da Terra por satélite e dados in situ (não espaciais), que podem ser utilizados por empresas com soluções inovadoras.

Atualmente, estão a ser utilizadas grandes quantidades de dados globais provenientes de satélites e de sistemas de medição terrestres, aéreos e marítimos para fornecer informações destinadas a ajudar os prestadores de serviços, autoridades públicas e outras organizações internacionais a melhorarem a qualidade de vida dos cidadãos da Europa. Os dados provenientes do Copernicus estão acessíveis aos utilizadores de forma gratuita e aberta.

Empresas portuguesas entre os vencedores de edições anteriores

Três empresas portuguesas que integraram o Centro de Incubação de Empresas da ESA em Portugal (ESA BIC Portugal), coordenado pelo IPN, já foram premiadas pela competição Copernicus Masters.

A Space Layer Technologies, sediada no IPN, venceu em 2017 uma das categorias do concurso com o projeto SOUL (Sensor Observation of Urban Life), que utiliza dados de observação da Terra do programa Copernicus para fornecer, através de uma aplicação para smartphone, alertas sobre a qualidade do ar das cidades a pacientes com doenças respiratórias, ajudando a melhorar a saúde pública e evitando desnecessárias hospitalizações.

Em 2018, a CybELE venceu o prémio principal da competição com uma tecnologia que recorre às imagens de satélite para ser mais fácil identificar crimes ambientais.

No ano passado, a Theia, também sediada no IPN, foi premiada numa das categorias com uma aplicação que permite monitorizar o estado de infraestruturas rodoviárias através de dados de satélite.

Para além dos prémios monetários, os vencedores do concurso terão acesso a: especialistas, incubadoras de negócios, coaching de negócios, suporte técnico, instalações para testes, desenvolvimento de protótipos, publicidade, suporte de marketing e financiamento público.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

ten + 10 =