Como diversificar as fontes de rendimento? A alternativa freelancer

Foto: Jorge Barata

Para muitos, a pandemia trouxe instabilidade laboral, contextos dramáticos que com o elevado custo de vida vieram a agravar. Por isso, torna-se cada vez mais importante não “pormos os ovos todos no mesmo cesto”. 

Deste modo, explorar a alternativa freelancer poderá ser uma interessante solução. Além de ser uma forma aumentar os rendimentos ao final do mês, os serviços prestados são definidos pela própria pessoa. Ou seja, para além da parte monetária, esta também poderá ser uma oportunidade para praticar/especializar em áreas que vão de encontro aos gostos pessoas, capitalizando, por exemplo, os hobbies.

Para ajudar a iniciar este percurso a Fiverr, plataforma que liga empresas e freelancers, partilha a história de um dos seus top-sellers, o Jorge Barata, Engenheiro Civil de formação, que hoje em dia vive apenas desta via de trabalho.

Há quanto tempo é freelancer?

Iniciei a minha atividade como freelancer de uma forma mais estruturada há cerca de 5 anos, embora antes já fizesse trabalhos como músico freelancer, pontualmente.

Como entrou para este mundo? Qual foi o seu percurso até lá?

Tudo aconteceu de uma forma muito natural, sem pressão. Estava totalmente descontente com o posto de trabalho e funções que realizava e comecei a “desbravar” novos caminhos. No início, sentia uma agitação própria de quem não se sentia realizado com o que estava a fazer. Depois percebi que tinha uma série de competências que nunca havia explorado e que poderiam vir a tornar-se ferramentas para o desenvolvimento de uma nova carreira, tais como a voz falada (estudei Canto no Conservatório), o gosto por línguas, pela representação, o meu percurso como cantor, etc. Entretanto, cheguei finalmente a uma etapa em que percebi seria viável, do ponto de vista económico, fazer aquilo que mais gostava. Ou seja, transformei alguns hobbies e skills em profissão. Foi um processo complexo, por vezes nebuloso, mas que deu frutos e provou ser muito gratificante.

Que canais utiliza habitualmente para divulgar os seus serviços?

Para divulgar os meus serviços, utilizo o LinkedIn, o Instagram, e-mails e as recomendações de clientes satisfeitos.

Quais os serviços que disponibiliza em plataformas como a Fiverr?

Ofereço serviços de locução, gravação de vídeos como apresentador/spokesman, produção de jingles, gravação de música e tradução.

Que vantagens existem em trabalhar com estas plataformas?

As vantagens em trabalhar nestas plataformas são diversas. Para citar apenas algumas, temos a garantia de que somos pagos pelo trabalho que realizamos, pois os clientes pagam antecipadamente à plataforma. Não é necessário cobrar diretamente ao cliente final. A plataforma, sendo ela própria uma marca, com as suas estratégias de Marketing, é uma montra para os freelancers que lá estão registados. O tempo de realização dos projetos é proposto pelo freelancer, salvo outra exigência feita pelo cliente. Existe ainda a possibilidade, nalgumas plataformas, de personalizar as condições dos serviços apresentados (preço, prazo, leque de opções). Por último, gostaria de referir uma vantagem muito importante: a flexibilidade de horários.

Dada a oportunidade, voltaria a ser colaborador por conta de outrem? Se sim, em que circunstâncias?

Depois de nos habituarmos a ter um “patrão” ou um “chefe” (por vezes sem as devidas competências ou experiência), é muito tentador não querer regressar ao sistema convencional. Dificilmente voltaria a ser colaborador por conta de outrem, a não ser que a proposta fosse irrecusável, em termos de dinâmica, possibilidade de evolução/aprendizagem, condições remuneratórias, nível de interesse dos serviços prestados, políticas da empresa, etc.

Que conselho daria a quem gostaria de se tornar trabalhador independente?

Quem pensar em tornar-se trabalhador independente deve ter três conceitos em mente: coragem, determinação e trabalho árduo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

15 − three =