Diogo Teixeira: 5 Oradores a Não Perder no Web Summit 2023

Diogo Teixeira, CEO da Beta-i
Na foto: Diogo Teixeira, CEO da Beta-i

Ao Empreendedor, Diogo Teixeira, sublinha que a Web Summit continua a ser uma arena vital para a evolução tecnológica e a definição do futuro global. O CEO da Beta-i recomenda 5 oradores e 4 áreas-chave a acompanhar na edição deste ano.

A Web Summit, aclamada como “a principal conferência tecnológica do mundo”, reúne líderes políticos, CEOs e fundadores de empresas tecnológicas para explorar a pergunta fundamental: “Para onde vamos a seguir?”. O evento, a decorrer na Altice Arena, em Lisboa, destaca-se como uma plataforma crucial para moldar o futuro da tecnologia em escala global.

De 13 a 16 de novembro a Web Summit conta com figuras proeminentes da indústria, investidores e entidades reguladoras do setor tecnológico. Na sessão de abertura a CEO da Web Summit, Katherine Maher, e o fundador da Wikipedia, Jimmy Wales abrem a conferência. No destaque do primeiro dia também está o cofundador e CEO da Unbabel, Vasco Pedro, a sócia-gerente da Indico Capital Partners, Cristiane Fonseca, entre outros.

Foto de Empreendedor

Entre os oradores “imperdíveis” destacados por Diogo Teixeira, CEO da Beta-i, estão Moojan Asghari da Thousand Faces, Ricardo Mourinho Félix do Banco Europeu de Investimento, Sage Lenier da Sustainable & Just Future, Andrew McAfee do MIT e Sami Abou Saab da zigzag.

“Estes oradores realçam não só a forte diversidade de personalidades que existem no ecossistema internacional, como as perspetivas únicas e transformadoras acerca dos temas que mais marcam a atualidade que vivemos, desde a Inteligência Artificial (IA) à sustentabilidade”, sublinha Diogo Teixeira.

“Ricardo Mourinho Félix e Andrew McAfee são importantes intervenientes que provém de instituições governamentais e educacionais de referência, aos quais se acrescenta o dinamismo de Moojan Asghari e Sami Abou Saab, empreendedores cujo trabalho está a causar impacto real na sociedade e no desenvolvimento de negócios, e a disrupção da jovem Sage Lenier, uma das vozes que está a marcar a atitude das próximas gerações perante a crise climática.”

Foto: Web Summit

Para o CEO da Beta-i, As áreas temáticas em foco na edição deste ano incluem Inteligência Artificial, Growth, Clima e Sociedade. Não só porque temas relacionados com o ambiente e sustentabilidade continuam no topo da agenda, mas também porque a IA é objeto de discussões sobre regulamentação e impacto em diversos setores.

“A IA, que cada vez mais está presente nas nossas vidas e profissões, será alvo de várias discussões sobre a sua regulamentação e o impacto que traz a diferentes setores de atividade”, justifica Diogo Teixeira. “Já o tema de growth é parte da própria essência do evento, sendo que muitos empreendedores marcarão presença à procura de oportunidades, mas também de conhecimento sobre investimento, liderança e desenvolvimento dos negócios.”

“Transversalmente, temas mais amplos como o clima e as sociedades do futuro também estão em destaque, tendo em conta as tendências que se têm desenvolvido no ecossistema internacional à volta da mobilidade, transição energética e health tech, bem como as questões de diversidade e inclusão que têm dinamizado a ordem social em que vivemos” explica Diogo Teixeira.

Foto de Empreendedor

O CEO da Beta-i sublinha que a Web Summit é um evento-chave para as empresas e startups portuguesas que podem aproveitar o evento não apenas para procurar financiamento, mas também para explorar parcerias de inovação e projetos piloto.

“Ainda parece subsistir a ideia que a Web Summit serve apenas para perseguir oportunidades de investimento. Apesar de ser compreensível que este foco seja dado ao financiamento de startups que procuram mais recursos para crescer, é importante perceber que o evento tem também um grande potencial para explorar parcerias de inovação e projetos piloto, que por vezes trazem oportunidades mais concretas.”

“Isto significa que os empreendedores portugueses devem preparar não só a sua proposta de valor no sentido do investimento, mas também estarem aptos para explorar de que forma conseguem acrescentar valor a projetos inovadores dentro de empresas ou de que forma conseguem resolver desafios de players corporate” recomenda Diogo Teixeira.

Para além disso, e do ponto de vista do conhecimento e da melhoria da sua atividade, é também uma oportunidade para os empreendedores manterem-se atualizados sobre as tendências que impactarão o desenvolvimento dos seus negócios, acentua o CEO da Beta-i.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

13 + seven =