Emprego: Portugal destaca-se com projeções otimistas de contratação

Foto de Freepik

Portugal é o país da Região EMEA que mais cresce nas perspetivas de contratação face ao último trimestre. Segundo o ManpowerGroup Employment Outlook Survey referente ao 3º trimestre de 2023, a Projeção para a Criação Líquida de Emprego é positiva, com um valor de +27%, o que revela um crescimento de 11 pontos percentuais face ao segundo trimestre de 2023 e posiciona Portugal como o quinto país da Região EMEA (Europa, Médio Oriente e África) com a Projeção mais forte.

Os sinais positivos na economia portuguesa, com a redução na taxa de inflação e a subida nas projeções de crescimento do PIB, encontram eco nas perspetivas de contratação das empresas nacionais para o terceiro trimestre do ano.

De acordo com os dados do ManpowerGroup Employment Outlook Survey, as perspetivas de contratação de novos funcionários evoluem de forma positiva, com 41% dos empregadores a prever aumentar as suas equipas no próximo trimestre, face a 14% que adivinham uma redução. 43% das empresas esperam manter o seu atual número de colaboradores.

Estes dados levam a uma Projeção para a Criação Líquida de Emprego de +27% para o terceiro trimestre de 2023, um valor já ajustado sazonalmente e que reflete uma subida de 11 pontos percentuais face ao segundo trimestre deste ano. A Projeção para a Criação Líquida de Emprego resulta da diferença entre a percentagem de empregadores que planeia aumentar a sua força de trabalho e a percentagem de empregadores que planeia reduzi-la.

Apesar do otimismo nas perspetivas de contratação, esta Projeção traduz, porém, uma ligeira contração de 4 pontos percentuais, quando comparada com o período homólogo de 2022. Nessa altura a generalidade dos setores registava uma forte recuperação pós-pandémica e ainda não eram notados efeitos decorrentes do conflito entre a Rússia e a Ucrânia.

Estes valores posicionam Portugal ligeiramente abaixo da média global, mas acima da região da EMEA (Europa, Médio Oriente e África), com mais 7 pontos percentuais do que esta última. Além disso, está entre os cinco países desta região com perspetivas de contratação mais otimistas: em conjunto com os Países Baixos, África do Sul, Reino Unido e Alemanha. Portugal é ainda o país desta Região que mais cresce nas intenções de contratação, comparativamente ao último trimestre do presente ano.

“Apesar de 2023 ter começado com sinais de estagnação ou mesmo de desaceleração económica, fomentada pelos desequilíbrios nas cadeias de abastecimento, pela inflação e o aumento das taxas de juro, a evolução da economia portuguesa, nos últimos meses, contrariou esse pessimismo e as previsões atuais de crescimento do PIB e de abrandamento da inflação refletem-se num maior otimismo dos empregadores relativamente às suas previsões de contratação no próximo trimestre”, explica Rui Teixeira, Country Manager do ManpowerGroup Portugal.

“Estas ambições de contratação traduzem, no entanto, um desafio importante para as empresas, no que respeita à atração de profissionais, uma vez que a escassez de talento permanece em níveis historicamente altos, em 84%, fazendo de Portugal o 4º país do mundo onde este valor é mais elevadoTecnologias da Informação, Energia e Utilities, Serviços de Comunicação e Bens e Serviços de Consumo são os setores com as previsões de contratação mais otimistas”, sublinha.

Foto de Rawpixel em Freepik

Setor das Tecnologias da Informação lidera otimismo

Os empregadores dos nove setores analisados em Portugal esperam aumentar as suas equipas no terceiro trimestre do ano, e oito destes setores têm intenções de contratação mais otimistas, face ao segundo trimestre de 2023. Por outro lado, sete reduzem as suas Projeções face ao período homólogo de 2022.

O setor das Tecnologias da Informação é o que apresenta as intenções de contratação mais vigorosas, com uma Projeção para a Criação Líquida de Emprego de +44%, o que representa uma subida de 12 pontos percentuais face ao período entre abril e junho do presente ano, mas que se traduz numa descida moderada de 7 pontos percentuais face ao mesmo período do ano passado.

Na lista dos setores com a Projeção mais otimista está também o das Energia e Utilities com +37%, o que espelha uma subida de 8 pontos percentuais relativamente ao trimestre anterior. Segue-se o setor dos Serviços de Comunicação, que incluem telecomunicações e media, e que apresenta uma Projeção robusta de +32%. No entanto, este valor traduz uma ligeira descida, de 3 pontos percentuais, face ao último trimestre e de 2 pontos percentuais face ao mesmo período do ano passado.

Já o setor de Bens e Serviços de Consumo, que contempla as atividades de Retalho, Distribuição, Hotelaria e Indústria de Bens de Consumo, apresenta uma Projeção de +30%, sendo dos setores que mais cresce face ao segundo trimestre do ano, com uma subida de 14 pontos percentuais. No entanto, quando comparada com o terceiro trimestre de 2022, a Projeção abranda 7 pontos percentuais.

O setor dos Transportes, Logística e Automoção, que situa a sua Projeção nos +25%, assume também uma evolução positiva considerável face ao trimestre anterior (mais 14 pontos percentuais), seguido do setor da Indústria Pesada e Materiais, que abrange também os subsetores da Agricultura e Construção, e que apresenta uma Projeção saudável de +23%. Estas intenções de contratação revelam um crescimento de 8 pontos percentuais face ao segundo trimestre deste ano, mas um abrandamento ligeiro de 4 pontos percentuais face ao período homólogo de 2022.

Com uma Projeção sólida, a fixar-se nos +21%, surge o setor das Finanças e Imobiliário, valor que espelha uma das evoluções mais positivas face ao último trimestre, de 14 pontos percentuais, mas uma queda acentuada de 22 pontos percentuais em comparação com o terceiro trimestre do ano passado.

Por fim, a área da Saúde e Ciências da Vida apresenta a Projeção mais conservadora, com +6%, o que traduz uma subida de 3 pontos percentuais face ao segundo trimestre do ano, mas uma descida de 23 pontos percentuais, se comparada com o mesmo período de 2022.

Foro de pch.vector no Freepik

Região Centro com mais perspetivas de contratação

Região Centro com a Projeção mais próspera, seguida do Grande Porto e Grande Lisboa
De Norte a Sul de Portugal, os empregadores de todas as regiões avançam com previsões otimistas de contratação para o terceiro trimestre do ano, e todas evoluem positivamente face aos meses de abril a junho de 2023. Porém, quando comparadas com o período homólogo de 2022, há um abrandamento das perspetivas de contratação em todas as regiões exceto na zona Centro.

Em contraste com o registado nos últimos trimestres, a Região Centro é a que apresenta uma Projeção para a Criação Líquida de Emprego mais robusta, a fixar-se nos +32%, o que se reflete num crescimento de 27 pontos percentuais face ao último trimestre – o mais acentuado de todas as regiões – e numa evolução positiva de 8 pontos percentuais, quando comparada com o período homólogo de 2022.

Seguem-se depois o Grande Porto e a Grande Lisboa, com uma Projeção de +30% e +29%, respetivamente. Na primeira região, esta previsão demonstra uma estabilização face ao último trimestre, apenas registando a subida de 1 ponto percentual e uma queda ligeira de 2 pontos percentuais, face ao mesmo período do ano passado. Já na Grande Lisboa, a Projeção revela um maior otimismo face ao trimestre passado, com as previsões de contratação a crescerem 13 pontos percentuais, mas a diminuírem 2 pontos percentuais face ao terceiro trimestre do ano passado.

A Região Sul surge como a quarta com a Projeção mais respeitável, a fixar-se nos +21%, o que equivale a uma evolução positiva de 11 pontos percentuais face ao último trimestre, mas um decréscimo considerável, de 13 pontos, percentuais em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Também com uma Projeção positiva surge a Região Norte, com o valor de +16%. Esta vem revelar uma subida de 3 pontos percentuais face ao período de abril a junho, mas uma descida de 8 pontos percentuais face ao período homólogo de 2022.

Foto de Freepik

Médias Empresas com perspetivas positivas de contratação

Médias e Grandes Empresas são as que mais esperam contratar no terceiro trimestre
As quatro categorias de empresas, independentemente da dimensão, avançam com previsões de contratação positivas para o terceiro trimestre de 2023, mas apenas duas das categorias assumem uma evolução positiva face ao período compreendido entre os meses de abril a junho de 2023, e só um tipo de organização evolui positivamente em relação ao período homólogo do ano passado.

Com a previsão mais robusta e próspera está a categoria das Médias Empresas, cuja Projeção para a Criação Líquida de Emprego se fixa nos +38%. Este valor animador traduz-se ainda num crescimento acentuado de 27 pontos percentuais face ao trimestre passado e numa evolução positiva de 9 pontos percentuais, comparativamente ao mesmo período do ano passado.

As Grandes Empresas apresentam a segunda Projeção mais forte, com o valor de +29%, o que revela um crescimento de 12 pontos percentuais face ao segundo trimestre do ano. No entanto, se comparada com o mesmo período do ano passado, regista-se um abrandamento ligeiro de 3 pontos percentuais.

Seguem-se as empresas de Pequena Dimensão e as Microempresas, com uma Projeção para o terceiro trimestre de +19% e 18%, respetivamente. Os valores das duas categorias, quando comparadas com o segundo trimestre do ano, registam um decréscimo das previsões em 1 ponto percentual e 7 pontos percentuais, respetivamente. Com a mesma tendência, quando comparada com o período homólogo de 2022, mostra-se um decréscimo considerável de 12 pontos percentuais nas Pequenas Empresas e de 9 pontos percentuais nas Microempresas.

O estudo trimestral do ManpowerGroup entrevistou mais de 38.000 empregadores, em 41 países e territórios. O próximo estudo será divulgado em setembro de 2023 e incidirá sobre as expectativas de contratação para o último trimestre de 2023.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

5 − 2 =