Fala ChatGPTês? Conheça 3 dicas para se tornar fluente

Foto de pikisuperstar em Freepik

Conversar com o ChatGPT assemelha-se muito a aprender um novo idioma: é essencial dominar a escrita, a leitura e a capacidade de diálogo na nova língua, assim como aperfeiçoar a pronúncia. À medida que progredimos, a comunicação com um falante nativo torna-se mais fluida. O mesmo acontece com o ChatGPT: é fundamental adquirir a destreza de conversar e interagir com a ferramenta para que esta compreenda exatamente o que lhe estamos a pedir. E porque incrementar a prompt engineering é hoje uma prática não só útil como, cada vez mais, imprescindível, para todos os profissionais dentro e fora nas TI, partilho três dicas para que possa aproveitar as potencialidades deste chatbot ao máximo:

Ilustração de pch.vector em Freepik

1 | Fale com o ChatGPT como se fosse uma pessoa

Quando conversamos com alguém (humano), é natural esperar que, num primeiro momento, o nosso ponto de vista possa não ser imediatamente compreendido. Neste caso, podemos precisar de fornecer um contexto sobre aquilo de que estamos a falar. Este é um comportamento que podemos aplicar ao ChatGPT: aportar o máximo de informação e contexto relevantes para o tópico de discussão.

Vamos supor que se quer preparar para uma maratona. Pode perguntar ao ChatGPT: “Como posso preparar-me para uma maratona?”. Mas em vez disso, não será melhor dar mais informações sobre a sua experiência, necessidades, entre outros pormenores? Uma pergunta mais precisa poderia ser: “Quero preparar-me para uma maratona daqui a seis meses, mas nunca corri distâncias tão grandes. Como posso preparar-me?”.

Ao fornecer a esta ferramenta de IA informação contextual adicional, esta será capaz de gerar respostas mais direcionadas e, consequentemente, úteis.

Ilustração de pikisuperstar em Freepik

2 | Aperfeiçoe a interação através do feedback

A interação com o ChatGPT deve ser um processo em constante evolução. Isto implica que, frequentemente, a primeira resposta possa não chegar perfeita; no entanto, tem a oportunidade de continuar o diálogo para melhorar as respostas seguintes. Após receber a resposta inicial, é importante avaliar se ela atendeu ao seu pedido de forma satisfatória. Se desejar uma resposta mais completa ou refinada, tem a possibilidade de fornecer feedback mais específico ao modelo, esclarecer dúvidas adicionais ou até mesmo solicitar que o ChatGPT explore um determinado tópico com mais profundidade. Cada vez que reforçar a interação, a ferramenta irá adquirir um entendimento mais sólido sobre as suas preferências e necessidades, o que se traduzirá em respostas cada vez mais certeiras.

Utilizando o exemplo do ponto anterior, poderia prosseguir a conversa, perguntando algo como: “A tua resposta foi útil, mas podes fornecer mais informações sobre como evitar lesões durante o treino para a maratona?”. Assim, o ChatGPT compreenderá de maneira mais clara a direção que deseja que a sua conversa tome.

ilustração de vectorjuice em Freepik

3 | Desafie o ChatGPT e a originalidade das respostas

Além de fazer perguntas diretas, experimente diferentes estilos de pergunta para estimular a criatividade do modelo e a geração de outputs mais variados e surpreendentes. Por exemplo, tente fazer uma pergunta hipotética começando por “E se…” para explorar cenários imaginários. Ou então peça ao ChatGPT para descrever algo como se estivesse a contar uma história ou a responder a alguém com determinada função, profissão ou idade, etc.

Ao explorar diferentes tipos de prompts, é possível desvendar respostas mais originais e inovadoras. E ao permitir que o ChatGPT se expresse sob múltiplas formas e facetas, vai poder identificar um maior leque de abordagens e perspetivas originais para resolver os seus desafios específicos. Além disso, a probabilidade de obter insights valiosos aumenta, o que vai acabar por enriquecer a informação obtida e acelerar a sua própria tomada de decisão – para além de fomentar um campo fértil de inspiração para projetos criativos ou empreendimentos futuros.

Em conclusão, tirar o máximo proveito do ChatGPT é uma questão de aperfeiçoar a comunicação com esta ferramenta de IA. Costuma-se dizer que “Quem tem boca vai a Roma”, mas quem dominar estas três dicas vai certamente aprender a falar este novo idioma da inteligência artificial com maior proficiência…. Para poder chegar a qualquer resposta que se proponha.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

19 − 7 =