Frances Haugen: “Zuckerberg devia demitir-se”

Foto: Web Summit

Frances Haugen, a denunciante do Facebook, apelou para Mark Zuckerberg deixar a liderança do Facebook, sublinhando que a empresa ficaria melhor com um gestor que se preocupasse com a segurança dos utilizadores.

Falando na sessão de abertura da Web Summit, Frances Haugen sublinhou que “o Facebook será mais forte com alguém que esteja disposto a concentrar-se na segurança”, acrescentando que a empresa dificilmente mudará enquanto Zuckerberg permanecer como CEO.

“Há tantas coisas boa para ele fazer no mundo que talvez fosse uma boa oportunidade para ser substituído”, frisou a antiga funcionária da empresa que denunciou falhas de segurança e desinformação na rede social Facebook.

Segundo Haugen a mudança de marca para Meta compromete a empresa com um grande investimento, sem que os outros acionistas tenham direito a decidir sobre essa mudança e em vez de investir na segurança da rede.

Sobre a decisão de tornar publica as informações confidenciais do Facebook, Haugen disse que foi o facto de ter descoberto “coisas que punham a vida de pessoas em risco” que a levou a avançar.

Os algoritmos “criam falsas escolhas”, onde prevalece “quem tem o maior megafone”, gerando conteúdos mais polarizados. A antiga gestora de produto do Facebook deu o exemplo da Etiópia “onde está a acontecer um genocídio” mas, como há seis idiomas, as informações são silenciadas, deixando parte da população vulnerável.  

Entrevista de Frances Haugen na sessão de abertura da Web Summit

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

sixteen − eleven =