Habitação: Lisboa é a cidade europeia onde o valor de arrendamento mais subiu

Foto de wuttichai1983 no Freepik

De acordo com o HousingAnywhere Rent Index os valores de arrendamento para estúdios em Lisboa aumentaram 51,4% neste trimestre. No Porto o maior aumento de trimestre após trimestre reflete-se no preço de arrendamento de apartamentos, registando uma subida de 20%.

Pela primeira vez em seis trimestres, o Internacional Rental Index da HousingAnywhere, a  plataforma de arrendamento de habitação na Europa, revela que o aumento dos preços de arrendamento está a registar um abrandamento no crescimento, embora ainda mantenha uma tendência de subida.

O Rent Index analisou mais de 52,000 propriedades de arrendamento, incluindo apartamentos T1, quartos e estúdios, maioritariamente direcionados a jovens profissionais e estudantes em mobilidade internacional, durante o primeiro trimestre de 2023. Os dados mostram uma média de 12% no aumento de preço das rendas de ano a ano em todo o tipo de alojamento e nas 24 cidades europeias analisadas.

“Mesmo antes da pandemia, os preços de arrendamento estavam demasiado altos para muitas pessoas viverem como querem e onde querem”, afirma Djordy Seelmann, CEO da Housing Anywhere. “O abrandamento atual no aumento dos valores de arrendamento indica um regresso ao estado pré-pandemia, marcado por um desequilíbrio significativo  de procura e oferta. Para combater a crise europeia no mercado do arrendamento, os governos devem abordar a escassez estrutural com uma mistura equilibrada de incentivos e restrições. É a altura de agirem e melhorarem a disponibilidade de habitação, acessibilidade e preços”.

Quando consideramos as mudanças de ano a ano, uma média de crescimento de 12% dos valores de arrendamento em todos os tipos de propriedade ainda indica preços muito mais elevados que os registados há um ano atrás. Mais especificamente, o valor de arrendamento dos estúdios aumentou 17%; os quartos aumentaram 11% e os apartamentos 8%. 

Contudo, a época alta do ano ainda está por vir. Perante o início da mesma para o turismo, a oferta de habitação para arrendamento residencial está em risco de ser ainda mais reduzida neste período, uma vez que alguns proprietários podem mudar as suas propriedades de arrendamentos médio e a longo prazo para alojamentos a curto prazo para fins turísticos. Com o novo ano académico a começar no outono e os estudantes e jovens profissionais à procura de um lugar para ficar, um desequilíbrio ainda maior entre a oferta e a procura pode manter a tendência elevada dos preços, nos meses vindouros. 

Foto de Freepik

Lisboa entre as capitais com maiores aumentos nos preços de arrendamento

Em Portugal, tanto o Porto como Lisboa registaram elevados aumentos de trimestre após trimestre em todos os tipos de propriedade. Os valores de arrendamento para estúdios em Lisboa aumentaram 51,4% neste trimestre, tornando-a a cidade com os maiores aumentos de trimestre após trimestre dos preços de estúdio no Rent Index. Ao mesmo tempo, o Porto apresenta o maior aumento de trimestre após trimestre para o preço de arrendamento de apartamentos, registando um aumento de 20%.

Nas cidades dos Países Baixos, Alemanha e Portugal foi onde se registaram os maiores aumentos anuais em todos os tipos de propriedades. Por exemplo, ao procurar apartamentos T1, Munique ocupa o terceiro lugar em termos de aumento anual (20%), seguido de Amesterdão, que ocupa o quarto lugar (18%). Se olharmos para os quartos, Berlim e Frankfurt lideram a lista dos maiores aumentos de ano após ano (32% e 29%), seguidas por Porto e Lisboa, onde esse aumento foi de 23% e 21%, respetivamente. 

Cidades de Itália e Espanha também demonstram aumentos significativos ano após ano em quase todos os tipos de propriedades. De entre as mesmas, Florença destaca-se por mostrar os maiores aumentos de preços de arrendamento em Itália em todos os tipos de propriedades.

Em geral, os estúdios são o tipo de propriedade que mostra o maior aumento, tanto trimestral como ano após ano. Lisboa lidera, assim, tanto o ranking quando se trata do maior aumento de trimestre após trimestre (51,4%) como o aumento de ano após ano (81,6%). Os estúdios representaram 12,8% do inventário no primeiro trimestre de 2022 em todas as cidades europeias analisadas, enquanto no primeiro trimestre de 2023 este valor diminuiu para 11,6%.

A diminuição da oferta para estúdios, combinada com o aumento da procura por parte dos jovens profissionais, serão provavelmente os principais impulsionadores do aumento de preços.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

twenty + 18 =