Inteligência Artificial na Aprendizagem Digital: Desafios e Oportunidades

impacto da Inteligência Artificial
Foto de rawpixel.com em Freepik

O Grupo Cegos, representado em Portugal pela CEGOC, promoveu o evento online internacional “Unleashing AI’ Power – Digital Learning”, focado no impacto da Inteligência Artificial (IA) na aprendizagem digital. O webinar, que contou com mais de 1.000 participantes, explorou a IA como uma tecnologia revolucionária no mundo do trabalho e, consequentemente, na indústria da formação. O objetivo foi abrir novas possibilidades para formadores, designers, programadores e formandos.

Durante o evento, destacou-se um ponto fundamental transmitido pelas oradoras, Patrícia Santos, Group Chief Corporate Offer & Solutions do Grupo Cegos, e Liliana Louro, Editorial Manager for the Cegos Corporate Offer: a IA não vai roubar nem destruir empregos, mas quem souber aproveitá-la e adaptar-se à transformação em curso terá uma vantagem competitiva. A IA complementa e coopera com a inteligência humana, tornando o upskilling e o reskilling essenciais nesse novo cenário.

“Esta foi uma excelente oportunidade para abordar um tema que causa tanto choque, como entusiasmo. E, sem querer deixar de lembrar os riscos que a IA traz, quisemos passar uma palavra de otimismo, de vontade de enfrentar a mudança e encontrar respostas, que potenciem as pessoas, as equipas, que as levem a novos patamares profissionais”, salienta Patrícia Santos.

“A IA complementa e coopera com a inteligência humana”

Foto de frimufilms em Freepik

Como resultado do evento, foram apresentadas sete conclusões-chave sobre o impacto da Inteligência Artificial para a área de Desenvolvimento e Aprendizagem (L&D):

  1. Testar a Inteligência Artificial em tópicos simples de produtividade, como por exemplo resumir documentos ou criar argumentos de venda, para compreender as funcionalidades mas também as limitações da IA Generativa;
  2. Aprender a comandar a IA, formulando perguntas e dando instruções claras para obter os resultados desejados. Muitas das respostas imprecisas dadas pela Inteligência Artificial resultam de formulações erradas ou confusas. Para dar resposta a esse desafio surgiu uma nova profissão de Prompt Engineering para desenvolver e otimizar prompts para usar com eficiência os modelos de linguagem;
  3. Ter cautela ao lidar com conteúdos sensíveis, considerando a proteção dos dados e a propriedade intelectual. Lembre-se de que os dados que fornecer poderão ser acedidos por terceiros ou serem usados pela Inteligência Artificial como aprendizagem para respostas futuras a outros utilizadores;
  4. Ter cuidado em validar e rever o conteúdo gerado pela IA antes de publicá-lo, pois a Inteligência Artificial não é programada para sempre dizer a verdade;
  5. A Inteligência Artificial não substitui, mas melhora. É importante abraçar a mudança e contar com especialistas, designers e formadores para maximizar os benefícios da IA;
  6. Ser transparente com os stakeholders sobre o uso da IA em projetos, como vídeos, para estabelecer confiança;
  7. O mais importante de tudo: ser humano e valorizar a humanidade nas interações e processos de aprendizagem.

Embora a Inteligência Artificial reduza o tempo de chegada ao mercado e facilite a criação de conteúdos formativos, a presença de especialistas em cada área é indispensável. “A inteligência humana deve ser o ponto de partida, acompanhando todo o processo e validando cada etapa. A IA atua como um copiloto, um GPS, mas a palavra final ainda é daqueles que estão no comando”, sublinha Patrícia Santos.

“A IA também traz benefícios na produção e localização de conteúdos, especialmente para uma empresa global como a Cegos, com conteúdos traduzidos em mais de 20 idiomas. No entanto, o uso de avatares na formação requer cuidado e atenção, pois é comum as pessoas não se sentirem confortáveis sendo “treinadas” por um avatar. Os designers enfrentam o desafio de criar avatares que sejam transparentes, não causem constrangimentos nem distraiam os formandos”.

As implicações e o potencial da IA na formação são vastos, impactando as interações entre formandos e formadores. Já existem soluções que identificam competências específicas a desenvolver e criam percursos personalizados de aprendizagem. “A mudança já está a acontecer e é importante abraçá-la para alcançar o sucesso”.

O webinar está acessível online na plataforma do LinkedIn para quem não teve oportunidade de ver ou pretende rever.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

16 + thirteen =