Microsoft procura soluções para um futuro mais ecológico

Foto de Fernando Venturim no Unsplash

Building The Future Hackathon está de volta com 5 mil euros em prémios. A iniciativa da Microsoft desafia programadores e empreendedores a pensar em soluções inovadoras para um futuro mais ecológico e com uma pegada de carbono mais reduzida.

Depois do sucesso da edição passada, o Building The Future Hackathon está de volta com um novo desafio. A iniciativa apoiada pela Microsoft desafia os programadores, sejam estudantes ou profissionais com vários anos de experiência, inovadores e empreendedores, a participar numa nova maratona de programação baseada em Microsoft Azure.

Para Andrea Rubei, Marketing and Operations Executive Director da Microsoft Portugal, “Após o sucesso alcançado no ano passado, em que conseguimos identificar soluções verdadeiramente promissoras para a mobilidade elétrica, considerámos que fazia todo o sentido desafiar, novamente, o ecossistema de inovação nacional a responder e a solucionar, através da tecnologia, questões que são cada vez mais pertinentes e atuais para a sociedade, como o low carbon”.

Com prémios de 3.000€ para o melhor projeto, 1.500€ e 500€ para os 2º e 3º lugares, respetivamente, o Building The Future Hackathon de 2022, pretende desenvolver soluções para reduzir a pegada de carbono e impulsionar a inovação neste âmbito.

Foto de Charles-Adrien Fournier no Unsplash

Para participar nesta iniciativa, os interessados deverão efetuar a sua inscrição até ao dia 20 de fevereiro através da plataforma online. Depois, os candidatos deverão organizar-se em equipas de, no máximo, cinco elementos e, até 6 de março, escolher o desafio ao qual pretendem apresentar soluções. As 10 melhores propostas passarão, posteriormente, à fase de desenvolvimento de protótipo para validação. Os cinco finalistas apresentarão o seu pitch e, de 31 de março a 7 de abril, terão de arrecadar o maior número de votos possível do público.

estas iniciativas são uma ferramenta essencial para aproximar as empresas das comunidades tecnológicas

“Acreditamos que este tipo de iniciativas que promovem a inovação aberta são uma ferramenta essencial para assegurar que as empresas se aproximam das comunidades tecnológicas e das mentes mais inovadoras e criativas do mundo, para em conjunto testarem em escala as suas ideias e as suas soluções, para acelerarem conceitos e modelos de negócio verdadeiramente capazes de solucionar os grandes desafios para alcançarmos um futuro neutro em carbono”, explica Ana Casaca, Diretora da Galp Inovação.

Esta edição tem o apoio da plataforma de inovação aberta da Galp – a Upcoming Energies – e conta com a parceria da Microsoft e da InnoEnergy, construção da imatch e da TAIKAI.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

three × three =