Preço médio da habitação subiu 6% no último ano

Foto de Steffen B. no Unsplash

O mercado imobiliário capitalizou 25 mil milhões de euros até Setembro de 2021, o que representa um investimento diário de 65 milhões de euros. Segundo o relatório da Alfredo, o município com o maior crescimento nos preços continua a ser Aveiro, enquanto Castelo Branco, registou o valor mais baixo nas transações, registando mesmo um decréscimo nos preços, relativamente a 2020.

O Índice de Preços Alfredo é divulgado mensalmente pela empresa especializada em inteligência artificial para o mercado imobiliário. O relatório de janeiro regista, além das variações mensais de preços, também o balanço de transações imobiliárias relativas aos três primeiros trimestres do ano anterior.

Assim, até setembro de 2021 venderam-se em Portugal 153.076, o que representa um aumento de 25,4% relativamente ao mesmo mês do ano anterior, período até ao qual tinham sido vendidos 122.066 imóveis.

Estes valores traduziram-se numa capitalização de mercado de 25 mil milhões de euros em setembro deste ano, comparativamente a 18,7 mil milhões de euros em setembro de 2020, fazendo de 2021 o ano mais forte de sempre no mercado imobiliário português, com um investimento diário de 65 milhões de euros.

Ainda segundo o relatório, o município onde os imóveis são vendidos mais rapidamente é Viana do Castelo, com uma média de 102 dias em venda, enquanto Portalegre é o município onde esse processo é mais demorado, com uma média de 207 dias até à conclusão da operação de venda.

Foto de Piotrek no Unsplash

Aumento nos preços

De acordo com o mais recente “Índice de Preços Alfredo”, o preço médio dos imóveis subiu 6% nos últimos 12 meses, sendo que o município com o maior crescimento foi Aveiro, com um aumento de 23,1% nos preços médios. No espectro oposto, Castelo Branco foi o município com a menor variação nos preços do imobiliário, registando mesmo um decréscimo de -4.2% nos preços.

Lisboa lidera os preços mais elevados, com um valor médio de 3.516 euros por m2, seguido do Porto, onde o preço médio é de 2.168 euros por m2. O terceiro lugar cabe ao município de Faro, com um preço médio de 1.964 euros por m2.

Em claro contraste, a Guarda regista o preço médio mais baixo, no valor de 438 euros por m2. Também Portalegre (477€/m2) e Santarém (572€/m2) estão entre as três capitais de distrito com os preços mais baixos do mercado residencial.

Analisando separadamente o mercado dos apartamentos e o das moradias, o Índice de Preços revela que em Janeiro, o preço médio para os apartamentos, foi de 2.600 Euros por m², enquanto nas moradias a média ficou em 1.042 Euros por m².

Variação de preços no mercado de apartamentos (Fonte: Alfredo Real Estate Analytics)

No caso dos apartamentos, o último ano foi marcado pelo aumento generalizado dos preços médios em praticamente todo o território nacional. Aveiro foi o município que registou o maior aumento, tendo-se observado uma variação de 22% enquanto em Ponta Delgada este mercado revelou-se menos atrativo, tendo sido a variação nesta zona de -3% no último ano.

Já no mercado das moradias o aumento dos preços foi mais contido, continuando Aveiro a liderar os aumentos, tendo-se observado uma variação de 22%. Coimbra foi o município com o crescimento mais baixo, tendo sido uma variação negativa no preço médio das moradias vendidas nesta zona (-9%) quando comparado com o ano anterior.

Variação de preços no mercado das moradias (Fonte: Alfredo Real Estate Analytics)

O estudo compara ainda a Taxa de Esforço para cada município. Esta taxa é a relação entre o valor da avaliação bancária mediana (por m²) e o rendimento médio mensal dos habitantes em cada município e serve para calcular o peso do custo da habitação no total dos rendimentos dos compradores.

Lisboa é o município onde essa taxa é mais elevada, com um valor de 1,9, tendo registado um aumento de 3,1% no preço da habitação. Já o município com a taxa de esforço mais baixa foi Guarda, com um valor de 0,6, registando um decréscimo no preço da habitação de -3,3%.

O “Índice de Preços Alfredo” é uma pesquisa realizada mensalmente pela Alfredo, uma plataforma digital desenvolvida pela startup portuguesa especializada no tratamento de dados do mercado para os profissionais do sector imobiliário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

4 × 5 =