Os principais desafios do empreendedorismo

Foto de Mike Petrucci no Unsplash

Ser dono do seu próprio negócio é o sonho de milhares de portugueses, e isso tornou-se ainda mais crescente devido a pandemia, que deixou diversas pessoas desempregadas e fez com que aumentasse ainda mais o desejo, e até mesmo a necessidade de ter o seu próprio empreendimento.

Porém, não se iluda achando que a trajetória é fácil. Por mais recompensadora que ela possa ser quando alcançar o seu objetivo final, empreender é uma tarefa bastante complicada, independentemente de qual a área onde pretende atuar, seja na venda de balança tendal, ou numa pizzaria.

Para que não caia de paraquedas, nem se iluda com as dificuldades que a jornada empreendedora pode causar, apresentamos-lhe os principais desafios do empreendedorismo e como os ultrapassar.

Foto de Kelly Sikkema no Unsplash

Carga fiscal elevada

O primeiro desafio que todos os empreendedores têm que encarar é justamente a alta carga tributária. Muitas empresas fecham no primeiro ano de vida por causa das elevadas taxas e impostos que têm que pagar.

Para que consiga controlar este problema, deve sempre contratar um contabilista certificado (obrigatório para os regimes fiscais de contabilidade organizada), ou aconselhar-se com alguém que conheça a área fiscal, no caso da sua empresa se enquadrar no regime fiscal simplificado. Dessa forma poderá ter um acompanhamento regular das suas obrigações fiscais e ser informado atempadamente dos prazos e valores a pagamento, para não apanhar sustos, e poder planear melhor a sua gestão financeira.

Maior concorrência no mercado

Esta é uma dura realidade: seja qual for a área em que atue, mesmo que seja algo muito específico, como uma empresa de automação residencial, certamente irá encontrar uma concorrência elevada, porque o mercado está a ficar cada vez mais inflacionado.

Por isso, conseguir destacar-se é cada vez mais difícil, e torna-se um dos grandes desafios, principalmente para novos empreendimentos. Conquistar o seu espaço dentro de um mercado concorrido é extremamente desafiador, e muitas vezes chega até a desanimar quem não está preparado para enfrentar esta batalha.

Foto de Sebastian Herrmann no Unsplash

Gestão de equipas

Abrir o seu próprio negócio representa também ganhar novas responsabilidades. Uma delas é precisamente ter que lidar com pessoas que trabalham para si. Afinal, nenhuma empresa consegue sustentar-se com apenas uma pessoa, é preciso criar uma equipa, ou melhor, várias tendo em conta a dimensão e os diferentes setores do seu negócio.

Dessa forma, é preciso aprender a gerir de pessoas, não só distribuindo tarefas e definindo metas, mas também planeando horários, turnos ou férias dos seus colaboradores. Alem disso precisa também de desenvolver competências específicas de liderança, como agir em reuniões, tomar decisões, e diversas outras responsabilidades que qualquer líder tem de ter.

Acredite, saber gerir e liderar pessoas pode ser muito mais difícil do que pensa e conseguir um bom relacionamento na sua equipa, em prol da empresa, é um grande desafio.

Foto de Gabrielle Henderson no Unsplash

Enfrentar a burocracia

Outro problema que muitos empreendedores enfrentam é justamente a burocracia, tanto jurídica quanto regulamentar, por vezes antes mesmo de abrir a sua empresa e que fazem com que muitas pessoas desistam antes mesmo de começar.

Dependendo da sua atividade, serão necessários numerosos processos, formulários, documentações ou licenças para iniciar uma atividade. Entre os documentos essenciais estão o Registo comercial; Comprovativo de Inscrição na Segurança Social; Declaração de Início de Atividade; Certificado de Admissibilidade; Depósito do capital social e Pacto ou ato constitutivo de sociedade, para as entidades coletivas.

Em parte esse processo está simplificado através do portal Empresa na Hora, um serviço online que reúne vários departamentos da administração pública através do qual é possível criar sociedades por quotas, sociedades unipessoais por quotas e sociedades anónimas, num curto espaço de tempo. Embora o nome sugira rapidez no processo, não deixa de ser complicado e convém ler primeiro o manual de início de atividade.

Uma vez aberta a empresa, e mesmo antes do início da atividade, podem ser necessárias licenças específicas do município ou de entidades para atividades que estão reguladas.

Por fim é conveniente ter contratos modelo para a contratação de pessoal ou prestação de serviços que obriguem a uma prestação contratual. Consultar um advogado pode ser essencial antes de abrir a porta do seu negócio.

Foto de Brooke Lark no Unsplash

Gestão empresarial e financeira

Outra dificuldade que podemos destacar é a gestão empresarial e financeira. Gerir uma empresa não é fácil, principalmente quando não se possui nenhuma experiência no assunto.

Enquanto empreendedor, existem diversas responsabilidades, tanto empresariais quanto financeira. Do lado das finanças, é difícil conseguir gerir o fluxo de caixa, inventário, vendas, salários, e tudo que envolve a atividade comercial.

Já no lado empresarial, o desafio é conciliar tudo que uma nova empresa precisa, como fornecedores, captação de clientes, divulgação, atendimento, recursos humanos, e todas as novas áreas que ficam sob a sua responsabilidade.

Além disso, há o lado pessoal, ou seja: encontrar uma área que seja compatível com aquilo de que gosta e pretende executar na sua vida. Para muitos empreendedores, esta é uma tarefa difícil e, se negociar com calibração de instrumentos, por exemplo, não é o seu sonho, o segredo está em encontrar nesse negócio a vertente que o vai motivar a envolver-se no projeto, ou a perceber momento certo para sair dele, antes que caiam juntos no fundo do poço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

two × 2 =