Prémio Millennium Technology Prize abre candidaturas

David Klenerman e Shankar Balasubramanian, recebendo o Prémio na Finlândia em 18 de maio de 2021 das mãos da Presidente da Academia de Tecnologia da Finlândia Marja Makarow.
David Klenerman e Shankar Balasubramanian, recebendo o Prémio na Finlândia em 18 de maio de 2021 das mãos da Presidente da Academia de Tecnologia da Finlândia Marja Makarow.

Já foram abertas as candidaturas para o Millennium Technology Prize. A iniciativa da Technology Academy Finland (TAF) atribui a cada dois anos o prémio de um milhão de euros aos autores de inovações revolucionárias de âmbito tecnológico. A convocatória para a indicação de propostas merecedoras do prémio estará aberta até 31 de outubro de 2021 e são aceites indicações de organizações de todo o mundo e de todas as áreas, exceto tecnologia militar.

O mecenas do prémio é o presidente da Finlândia e o galardão foi concedido pela primeira vez em 2004. Entre os premiados estão Shinya Yamanaka, pelo desenvolvimento ético de células-tronco, Stuart Parkin, pelo aumento da densidade de armazenamento de dados, e Shankar Balasubramanian e David Klenerman, pelo desenvolvimento de um método rápido e acessível de sequenciamento de DNA. Três dos dez premiados foram posteriormente agraciados com um Prémio Nobel.

Na edição deste ano foram reformulados os critérios da atribuição do prémio, contemplando, além de iniciativas de inovação tecnológica que melhorem a vida das pessoas e promovam o desenvolvimento sustentável, também aqueles que consideram o potencial da inovação para a preservação dos recursos naturais e para a promoção da biodiversidade, bem como da igualdade entre pessoas. A acessibilidade global à tecnologia e os códigos de ética e conduta utilizados no desenvolvimento da inovação serão valorizados no processo de avaliação das indicações.

“Temos extrema necessidade de inovações tecnológicas, e as aplicações delas resultantes devem reparar os danos existentes, melhorar a situação atual ou evitar danos futuros. Continuamos a atribuir o Prémio a inovações que promovem amplamente o bem maior do planeta e da humanidade”, afirmou Markku Ellilä, CEO da Academia de Tecnologia da Finlândia (TAF). “Além disso, temos grandes desafios éticos relacionados com a privacidade e a influência através por meio de dados”, sublinhou.

As candidaturas ao Prémio são propostas por organizações como universidades, institutos de pesquisa, academias de ciência e tecnologia, empresas e ONGs. A proposta pode incidir sobre um individuo ou equipa mas, neste caso devem ser indicados os nomes das pessoas a quem seria entregue o prémio. Outra condição para a nomeação é o consentimento do nomeado, não sendo permitidas as auto-candidaturas. As propostas devem ser enviadas através da página da iniciativa, sendo que toda a informação deve ser fornecida em inglês.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

three × two =