Programa Smart Open Lisboa Apresentou Soluções para a Mobilidade Urbana Sustentável

Diogo Moura, Vereador da Economia e Inovação na CML. Foto de Smart Open Lisboa/Dário Branco Fotography
Diogo Moura, Vereador da Economia e Inovação na CML. Foto de Smart Open Lisboa/Dário Branco Fotography

A mais recente edição do Smart Open Lisboa (SOL), programa de inovação aberta realizado em parceria entre a Câmara Municipal de Lisboa (CML) e a consultora de inovação colaborativa Beta-i, apresentou o seu Showcase Day. No evento de encerramento os finalistas apresentaram as suas soluções, com destaque para a promoção da mobilidade urbana sustentável na capital portuguesa, alinhada com os objetivos de neutralidade carbónica até 2030.

Os quatro projetos-piloto finalistas abordam desafios identificados no programa, como a promoção de smart cities e mobilidade urbana, o uso de veículos automáticos, conectados, elétricos e partilhados, a otimização da logística de mobilidade das cidades por meio de dados, o estímulo à sustentabilidade e transição energética, e a melhoria da experiência dos consumidores.

Uma das ideias finalistas destaca-se pela sua potencial revolução na logística de perdidos e achados nos transportes públicos. Com o apoio da Carris, a integração da app deste projeto-piloto visa tornar a gestão de objetos perdidos mais clara, segura e eficiente, reunindo todos os itens esquecidos e encontrados numa plataforma centralizada. Além disso, outros projetos finalistas incluem um software de otimização de rotas logísticas para tornar os percursos de viaturas e mercadorias mais sustentáveis, uma aplicação para melhorar a gestão de carregamento de autocarros elétricos e ainda chatbots para automatizar respostas online.

De acordo com Diogo Moura, Vereador da Economia e Inovação, “Lisboa está fortemente comprometida com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas e promove uma estratégia de inovação aberta para envolver cidadãos, associações e empresas na co-construção de um futuro mais inclusivo, sustentável e próspero para todos”.

Gustavo Magalhães, diretor na Beta-i, ressalta que “a melhoria da sustentabilidade da mobilidade urbana é crucial para combater as crescentes emissões de dióxido de carbono na capital, e tanto a Beta-i como a CML estão empenhadas em fazer a diferença através da inovação colaborativa”.

Com o compromisso de Lisboa em se tornar neutra em dióxido de carbono até 2030, o programa SOL Mobility desempenha um papel essencial na procura de soluções inovadoras para melhorar a vida nas cidades e enfrentar os desafios da mobilidade urbana.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

1 + three =