Startup Lisboa apresenta finalistas ao Prémio Empreendedor do Ano

Startup Lisboa anuncia finalistas ao Prémio João Vasconcelos
Foto de Startup Lisboa

A Startup Lisboa anunciou os seis finalistas do Prémio João Vasconcelos – Empreendedor do Ano. A escolha da edição de 2021 será decidida a 30 de setembro entre os fundadores das startups Doppio, Reatia, Sensei, Student Finance, Coverflex e Shake.

Os finalistas farão o pitch final numa sessão integrada no Startup Lisboa’s Day, o evento da incubadora que pretende juntar parceiros, investidores e mentores da comunidade da Startup Lisboa para promover os empreendedores e o trabalho por desenvolvido ao longo do último ano.

Apesar de serem apontados como “seis finalistas”, na realidade há candidaturas conjuntas ao prémio de Empreendedor do Ano, como é o caso de Christopher Barnes e Jeferson Valadares, que concorrem em conjunto pela Doppio; ou Joana Rafael, Nuno Moutinho, Paulo Carreira e Vasco Portugal, que constituem a equipa da Sensei. Alem destes “dois” candidatos ao Prémio João Vasconcelos, são também finalistas Hugo Venâncio (Reatia), Marta Palmeiro (StudentFinance), Miguel Santo Amaro (Coverflex) e Philip Källberg (Shake), selecionados entre as dezenas de empreendedores que se apresentaram como candidatos à distinção de Empreendedor do Ano 2021.

“Esta edição do Prémio João Vasconcelos veio reforçar a convicção de que o nosso ecossistema está, de facto, cada vez mais maduro. Exemplo disso são os seis finalistas a Empreendedor do Ano 2021, todos com um desempenho notável ao longo do último ano. É um privilégio poder assistir a um cada vez maior número de pessoas a pôr de pé empresas inovadoras e capazes de fazer a diferença nos seus setores de atividade”, afirma Miguel Fontes, diretor executivo da Startup Lisboa.

O vencedor do Prémio João Vasconcelos – Empreendedor do Ano 2021 vai receber 10 mil euros, prémio patrocinado pela Semapa NEXT, empresa de capital de risco da Semapa. Esta edição do Prémio conta ainda com o apoio da Basinghall Partners e dos associados fundadores da Startup Lisboa: Associação Mutualista Montepio Geral, Câmara Municipal de Lisboa e IAPMEI.

O Startup Lisboa’s Day terá emissão em streaming, acessível mediante o registo online, além da participação presencial.

Conheça os finalistas

Christopher e Jeferson são os fundadores da Doppio, um estúdio de jogos comandados por voz. The Vortex foi o primeiro jogo criado pela startup, em 2018, ao qual se seguiu o jogo oficial da série “3%“, da Netflix, para Google Assistant e Amazon Alexa; e um jogo oficial do PAC-MAN “Waka-Waka”, criado em parceria com a Bandai Namco. Mais recentemente, e no contexto de pandemia, desenvolveram “Just Say The Word”, para jogar através da plataforma de reuniões virtuais Zoom.

Com 11 pessoas na equipa, este estúdio revelou-se um dos maiores criadores de jogos para voz, não só em termos de receita média por utilizador, como também pelo reconhecimento dos principais players do mercado, como a Amazon e a Google. São também parceiros de lançamento da Zoom Apps.

Hugo Venâncio fundou a Reatia em 2019 com o objetivo de democratizar o acesso aos dados do mercado imobiliário. Ao permitir uma visão global e integrada do estado do mercado, e usando Inteligência artificial, a Reatia quer contribuir para a saúde e transparência do mercado imobiliário, com a disponibilização de dados tratados e ferramentas de análise de mercado mais eficientes para os diferentes players do setor.

Com atividade em Portugal e Espanha, a Reatia prepara-se para entrar num terceiro mercado no último trimestre deste ano. A startup conta com uma equipa de mais de 20 pessoas e com mais de 11 mil utilizadores só em Portugal. É um negócio rentável desde o seu primeiro ano de operação.

Fundada em 2017, por Joana Rafael, Nuno Moutinho, Paulo Carreira e Vasco Portugal, a Sensei desenvolve tecnologia baseada em computer vision para a área do retalho. Pioneira no desenvolvimento de soluções para a criação de experiências de compra sem filas e sem fricção para o cliente, foi a empresa que desenvolveu a tecnologia do Continente Labs, o primeiro supermercado autónomo e sem checkout na Europa.

Já investida pela Techstars, Seaya Ventures, Iberis, Bright Pixel, Ideias Glaciares e pela alemã METRO AG, a startup ambiciona entrar com lojas autónomas em 5 países, através da criação de parcerias com as principais cadeias de retalho da europa, fazendo crescer a sua equipa de 36 para 100 pessoas.

Marta Palmeiro é cofundadora da StudentFinance, uma startup na interseção de EdTech e de Fintech, que remove as barreiras do acesso à educação através de uma plataforma tecnológica de suporte ao modelo de Income Share Agreements (ISA), um modelo de pagamento diferido das propinas em que os alunos pagam uma percentagem do seu salário quando estiverem empregados.

Tem parcerias com mais de 40 escolas focadas em competências tecnológicas e digitais, e operação em Portugal, Espanha, Alemanha, Israel e Finlândia. A StudentFinance prepara-se agora para entrar no mercado do Reino Unido, no primeiro trimestre de 2022. A startup já ajudou 850 alunos a aceder a programas de educação, o que corresponde a um apoio superior a 6 milhões de euros. Marta Palmeiro fundou a Portugal Fintech em 2016, foi vencedora do Women Entrepreneurship Award de 2019 e é mentora na Portuguese Women In Tech.

Miguel Santo Amaro fundou a Coverflex em 2019, uma solução de compensação flexível que permite às empresas reduzir custos e maximizar os ganhos potenciais das suas pessoas. Nos seus primeiros meses de operação, a Coverflex adquiriu a Colmena e a Flexben, consolidando a liderança do mercado nacional e agilizando assim a sua entrada no mercado espanhol. Entre os seus clientes destaca-se a PwC, com mais 1600 colaboradores em Portugal.

Agora, com 48 pessoas na equipa, mais de 270 empresas clientes e mais de 6000 colaboradores a usar a plataforma, a Coverflex prepara agora a sua expansão internacional. Miguel Santo Amaro esteve na génese do ecossistema empreendedor quando fundou a Uniplaces, em 2011, e mais tarde juntou-se à Shilling como Partner para liderar uns dos fundos de capital de risco mais ativos do país com mais de €30M sob gestão. Foi um dos membros fundadores do World Economic Forum em Portugal, e pertence ao conselho de estratégia da Startup Portugal e da Câmara Municipal do Porto.

Phillip Källberg é fundador da Shake, uma plataforma de gestão de reviews para pequenas, médias e grandes empresas. Criada em 2018, a startup conta já com uma faturação anual recorrente de 800 mil euros. Apesar de não ter levantado qualquer investimento, conta já com clientes em mais de 30 países.

O percurso desta startup foi conseguido com uma equipa de 15 pessoas em full remote e com uma gestão muito focada na criação de uma cultura de empresa forte.

Novidades na terceira edição do Prémio João Vasconcelos

Nesta terceira edição do Prémio João Vasconcelos – Empreendedor do Ano, será igualmente entregue o Prémio Melhor Pitch, uma iniciativa que pretende premiar o mérito da apresentação dos candidatos. A atribuição deste prémio, será da responsabilidade de um júri composto por uma pool de jornalistas do setor.

Também este ano, para além da habitual fase de candidaturas dos próprios, a Startup Lisboa abriu uma fase de nomeações por forma a envolver todos membros da comunidade na possibilidade de nomearem os empreendedores ou equipas que acreditam terem-se destacado no último ano, incentivando, desta forma, uma maior participação do ecossistema na iniciativa.

O objetivo deste prémio é apoiar empreendedores que se tenham destacado pelo seu desempenho na fase de criação ou de expansão dos seus negócios. Os critérios de avaliação das nomeações e das candidaturas foram: visão e estratégia, resiliência, contributo para o ecossistema empreendedor nacional, liderança e gestão de equipa, crescimento e penetração internacional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

16 − 4 =