Tecnológica portuguesa produz plataformas digitais para marcas de luxo

Lisbon Nearshore produz plataformas digitais
Foto: Lisbon Nearshore

A Lisbon Nearshore tem dado cartas na aquisição de clientes no sector da moda de luxo, afirmando-se como uma extensão das equipas dos seus clientes, que movimentam cerca de 13 mil milhões de euros por ano. Com 50 consultores especializados, distribuídos por várias áreas de conhecimento e pelas equipas dos seus clientes, a startup portuguesa disponibiliza soluções tecnológicas da web ao mobile ou ao 3D.

Com apenas dois anos de presença no mercado a empresa encontrou nas áreas de Fashion e Luxury um nicho que movimenta milhões: “Os nossos clientes estão a passar um momento de grande transformação digital e a Lisbon Nearshore está a ter um papel fundamental na construção do futuro tecnológico das maiores marcas de luxo e moda do mundo”, destaca o CEO, Tiago Catarino. “São muitos os vetores dentro destas empresas que estão a passar por esta transformação: dos canais de vendas ao contacto com os colaboradores, todas as interações têm tendência a ser cada vez mais digitais.”

Hugo Boss, Cartier, Montblanc ou Chloé são alguns dos nomes que a startup tecnológica portuguesa já conquistou em apenas dois anos.

A Lisbon Nearshore está a assumir um papel de liderança no mercado de apoio à inovação das grandes marcas de retalho de luxo, com o objetivo de as ajudar a retirar os melhores benefícios dos seus sistemas de ERP (Enterprise Resource Planning) e aplicações utilizadas nas operações, consoante os objetivos de cada negócio.

Também o ambiente mobile assim como no desenvolvimento de tecnologias que criem novas experiências de compra nas lojas físicas fazem parte da oferta de serviços disponibilizados pela startup portuguesa.

“A grande disrupção que está a ser alavancada por dispositivos IoT, experiências de compras personalizadas e operações de negócios digitais, exige que os sistemas estejam intrinsecamente ligados e que troquem informação entre si de forma muito rápida, para irem ao encontro dos vários objetivos comerciais” frisa Tiago Catarino.

O facto de Lisboa se ter afirmado, nos últimos anos, como um dos polos tecnológicos com melhor talento e potencial do mundo, despertou o interesse e confiança nos fornecedores portugueses. Este tem sido um ponto relevante para o sucesso da empresa, que pesa a favor na hora da escolha na contratação de um serviço especializado de consultoria e desenvolvimento tecnológico, que funciona como se tivesse uma extensão da sua equipa noutra cidade.

“Para nós, é importante construir um negócio sustentável, que está a exportar talento a partir de Portugal, mas essencialmente também contribuir para a economia portuguesa, ao contrário do que acontece com vários centros de serviços que estão a fixar-se em Portugal, aproveitando uma estrutura de custos mais competitiva que acaba por beneficiar apenas a “casa mãe”, noutro país, reforça o Tiago Catarino. A Lisbon Nearshore conta chegar, em 2020, no seu terceiro ano de atividade, a uma faturação de 3 milhões de euros e expandir até aos 70 colaboradores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

4 × 3 =