“Transporte a Pedido” entre os finalistas aos Prémios REGIOSTARS 2021

Foto de Mitchell Johnson no Unsplash

Um conceito de transporte on-demand que reduz a pegada ecológica e melhora a mobilidade nas zonas de baixa densidade populacional do interior, está entre os 25 finalistas aos Prémios REGIOSTARS 2021 da Comissão Europeia.

O projeto português de mobilidade apresenta-se como uma alternativa inovadora de transporte nas zonas de baixa densidade populacional do interior do país e onde a rede de transportes públicos regulares é escassa para responder às necessidades das populações.

Apoiado pela política de coesão da UE, o projeto Transporte a Pedido – desenvolvido pela Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo – faz parte da lista dos 25 finalistas aos prémios REGIOSTARS 2021, concorrendo na categoria de “Enhancing green mobility in the regions: European Year of Rail 2021”.

Os prémios REGIOSTARS são atribuídos anualmente pela Comissão Europeia a projetos financiados pela política de coesão da UE e que demonstrem excelência e novas abordagens no âmbito do desenvolvimento regional. O objetivo é inspirar os decisores regionais e gestores de projetos em toda a Europa, para a inovação em cinco categorias temáticas: digitalização; sustentabilidade; inclusão; economia circular e mobilidade.

O projeto português, incluído entre os 25 finalistas, começou em 2013, no concelho de Mação, mas atualmente já beneficia mais de 214 mil habitantes,  em 13 concelhos, e que tem mais de 1.300 paragens.

À semelhança do transporte coletivo regular, o Transporte a Pedido tem circuitos, paragens e horários definidos. No entanto, o serviço distingue-se do transporte regular porque a viagem tem de ser desencadeada pelo utilizador, efetuando o seu pedido junto da central de reservas por telefone ou online. Deste modo, as viaturas só efetuam os percursos solicitados e só vão às paragens que tiverem reservas, o que contribui para uma gestão mais sustentável das viagens.

“Termos sido escolhidos entre 214 candidatos oriundos de todos os países da UE e sermos o único projeto português incluído na lista dos 25 finalistas é para nós um motivo de grande orgulho. Representarmos o nosso país nesta final com um projeto que promove a inclusão social dos cidadãos residentes nas zonas mais interiores de Portugal, de fraca densidade populacional e onde a rede de transportes públicos regulares chega de forma residual, espelha igualmente reconhecimento do valor do trabalho que vimos fazendo desde 2013”, diz Anabela Freitas, presidente do Conselho Intermunicipal da CIM do Médio Tejo.

“O nosso projeto converge com os objetivos de desenvolvimento e coesão fixados pela Comissão Europeia para uma sociedade mais inclusiva, mais sustentável e mais justa na Europa. Projetos como o Transporte a Pedido provam que é possível criar soluções inovadoras e economicamente viáveis que combinam sustentabilidade e inclusão. Este projeto, no qual iremos continuar a investir, só foi possível graças ao apoio da União Europeia”, frisa Anabela Freitas.

O projeto português Transportes a Pedido, concorre na sua categoria contra outros 4 projetos. A escolha dos vencedores cabe a um júri indicado pela Comissão Europeia, mas o público pode votar no seu projeto favorito e eleger o vencedor da categoria Public Choice Award. A votação decorre online até dia 15 de novembro. Os vencedores serão conhecidos a 2 de dezembro, em Dubrovnik, na Croácia.  

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

three × one =