Work-life balance e progressão de carreira são essenciais para atrair profissionais de TI

funcionários felizes
Foto de Freepik

Work-life balance e progressão de carreira são dos fatores mais valorizados por quem procura emprego no setor tecnológico, de acordo com um estudo apresentado pela Randstad sobre Information Technology & Communication. O setor tem mantido uma trajetória de crescimento acentuado em termos de atratividade para trabalhar, apesar dos desafios enfrentados, incluindo um abrandamento de crescimento após a pandemia de COVID-19.

“A nível global, o setor das TI foi considerado o mais atrativo no Employer Brand Research 2023 e conseguimos extrair insights muito pertinentes para ajudar as empresas a superar os desafios atuais do mercado de trabalho”, comenta Isabel Roseiro, diretora de marketing da Randstad Portugal.

O estudo destaca que a área de Tecnologia da Informação (TI) está a passar por evoluções importantes, incluindo a influência da inteligência artificial e a procura por tecnologia sustentável. “Perante essas mudanças, é essencial que os empregadores permaneçam atentos às necessidades dos colaboradores”, sublinha-se no estudo.

No entanto, a pesquisa da Randstad também revela que as necessidades dos profissionais de TI não sofreram alterações significativas, com exceção de alguns fatores específicos. A saúde financeira da “empresa ideal” ganhou maior importância, devido a alguma instabilidade no setor. Em geral, os profissionais de TI têm necessidades semelhantes aos trabalhadores de outras áreas, embora sejam ligeiramente menos exigentes.

O estudo identifica que os principais fatores valorizados pelos profissionais de TI são: salário e benefícios; work-life balance; e progressão de carreira. Especialmente, a procura por um melhor equilíbrio entre vida profissional e pessoal é apontada como a principal razão para mudar de empregador.

retenção de talento
Foto de Freepik

O impacto do teletrabalho no work-life balance é menos relevante para os profissionais de TI, uma vez que muitos já adotaram essa prática. Por outro lado, a progressão de carreira é uma preocupação central, especialmente na Europa e América Latina.

Diante da concorrência por competências tecnológicas, a incapacidade de atender às necessidades salariais e de benefícios, bem como a falta de progressão de carreira e work-life balance, podem levar a uma maior rotatividade de profissionais.

O estudo indica que os cinco principais motivos para a escolha de um empregador são: salário e benefícios; work-life balance; segurança no trabalho; saúde financeira; e progressão de carreira. Esses fatores são valorizados de forma diferente em cada região do mundo.

Para atrair e reter talentos no setor de TI, as empresas devem priorizar o equilíbrio entre vida pessoal e profissional, além de oferecer salários e benefícios atrativos e oportunidades de progressão de carreira. O estudo também destaca que, embora os profissionais de TI valorizem a segurança no emprego a longo prazo, muitos consideram que suas entidades patronais atuais cumprem efetivamente esse objetivo.

“Com a escassez de mão-de-obra especializada, torna-se cada vez mais importante encontrar profissionais adequados para determinado cargo, trabalhando na atração de talento, mas também na sua retenção. Assim, estes dados ajudam a definir prioridades para a criação de estratégias eficazes de talento”, sublinha a responsável de marketing da Randstad Portugal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

14 − 14 =