Lisbon Challenge – O acelerador que investe em startups

As 9 startups selecionadas para a edição deste ano do programa de aceleração Lisbon Challenge são:

  • City Check, uma aplicação móvel de jogos contextuais para famílias;n
  • Luvotels que propõe uma solução de booking para motels;n
  • Monitor Fish, utiliza a inteligência artificial para a indústria da aquacultura; n
  • Parkio é uma plataforma que liga condutores e espaços de estacionamento; n
  • Placeme propõe uma solução que permite escolher a localização de um espaço tendo em conta uma precisão do seu potencial comercial; n
  • Reckon.ai tem uma solução de otimização de preço para o retalho;n
  • Sparkl que propõe um serviço de beleza ao domicilio;n
  • TigerTime, uma app de produtividade, e n
  • WineMNT, um espaço que promove o encontro entre produtores de vinho e retalhistas.

    Agora, estas nove startups promissoras passarão pela segunda fase do Desafio de Lisboa. Durante a aceleração, eles terão 10 semanas para validar seus negócios, desenvolver seu produto e lançar o seu arranque de Lisboa para o mundo. No final, 4 startups receberão um financiamento adicional de 50 mil euros e 6 meses de espaço de escritório.

    A principal novidade para este ano é o facto de este programa migrar de um formato non-equity, onde não havia qualquer tomada de participações ou investimento, para um acelerador associado a um fundo de investimento. Assim, este ano, as startups selecionadas recebem logo à partida 10 mil euros, em troca de 1,5% do seu capital, sendo este montante assegurado pela LC Ventures, sociedade de capital de risco associada à Beta-i, a promotora da iniciativa.

    Este programa, considerado no ano passado o 2º acelerador mais dinâmico da Europa pela Fundacity, é um dos mais prestigiados e intensos programas internacionais para startups que queiram focar-se no desenvolvimento e validação do produto.

    O Lisbon Challenge arrancou em 2013 e, ao longo das suas sete edições, contou já com a participação de 185 startups, de 28 países. Por este programa de aceleração passaram algumas startups que se tornaram famosas, como como a Uniplaces, a plataforma de acomodação para universitários, a Infraspeak, segunda startup portuguesa a ser investida pela 500 Startups, ou a Unbabel, uma plataforma escalável de serviços de tradução, passaram todas por este programa no passado.

  • DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor escreva o seu comentário!
    Por favor coloque o seu nome aqui

    3 × two =