Como desenhar a sua ideia de negócio partindo do zero

Imagem de Pexels por Pixabay

Neste artigo vou dar a conhecer os 5 passos essenciais para desenhar sua ideia começando do zero. Vai descobrir como tirar, da forma mais ágil e precisa, uma ideia da cabeça e visualizá-la no papel. Deste modo, poderá ver o que tem de melhor naquilo que pensou e perceber qual o melhor caminho a seguir, aumentando muito a chance de a tornar realidade… 

Quantas vezes teve uma ótima ideia, mas nunca a passou para o papel? Certamente imaginou o sucesso que teria, mas acabou por esquecê-la porque não conseguiu desenhá-la para a poder concretizar.

Muitos perguntam-me “Como começar do zero, se eu não consigo nem desenhar a minha ideia?”

Desenhe a sua ideia começando do zero

Eu já escrevi mais de 500 artigos como este, 3 livros, 11 e-books e não sei nem quantos projetos e planos de startups. Sabe o que há de comum em todos eles? Começar do zero.

A primeira grande dificuldade é o impulso inicial. Você não tem NADA e para começar a criar, é necessária uma energia real para sair dessa inercia. Passado, esse primeiro ponto, ainda tem de abrir o documento do Word, olhar a pagina em branco e ver que realmente não tem nada ali.

Então como tirar da cabeça e colocar no papel? 

Como organizar a sua ideia numa folha de papel
Imagem de Tumisu por Pixabay

 1 – Sem compromisso e pressa para desenhar a sua ideia de negócio

É comum deixar os projetos para a última hora. Isso, por vezes, até ajuda, porque a criatividade é exigida ao máximo e assim estimula a lapidação do projeto. No entanto, na maior parte das vezes a pressa prejudica.

O segredo para começar um negócio, ou uma inovação no negócio, a partir do nada é ter um bom ponto de partida e planificar sem pressa.

Só tem de pegar num caderno, ou ficheiro Word, e começar a escrever tudo o que já pensou sobre o assunto. Geralmente, os textos que escrevo começam com um algum rascunho onde, sem qualquer compromisso eu atirei ideias perdidas. 

Assim, comece por anotar:

  • O que já pensou sobre o assunto; 
  • Noticias relacionadas;
  • Comentários de amigos;
  • Opiniões de especialistas.

 Regra: Não faça tópicos. Escreva tudo o que pensou na sua cabeça. Não restrinja informações, pois você não sabe ainda o que vai, ou não, ser importante. 

Faça desse documento o seu repositório da ideia por um ou dois dias. 

Dedique algum tempo a escrever o conceito do seu negócio
Imagem de StartupStockPhotos por Pixabay

2 – Comece pelo “Esqueleto”

Depois de anotar tudo, comece a criar a base do que vai ser mais importante no seu projeto ou negócio. Quais são as partes fundamentais que vê nele? Consegue identificar o problema que resolve? Sabe qual o público-alvo? Precisa de uma especialização no assunto?

Isso é ótimo para ter uma estrutura do que importa. Por exemplo, quando escrevo um artigo como este, a primeira coisa que faço é sempre identificar quais são as partes importantes que preciso ter para passar a ideia. O que é essencial para que você entenda no final o que eu quero dizer.

 As minhas sugestões para a estruturação da sua ideia são:

  • Mercado;
  • Problema;
  • Solução a entregar;
  • Forma de rentabilizar;
  • Principais recursos para começar a empresa;
  • O que vai ser necessário comprar;
  • Possíveis concorrentes;
  • Potenciais sócios;
  • Maiores dificuldades

 Monte apenas o esqueleto do que considera importante. Por fim, distribua as ideias soltas que teve no início pelos critérios que criou, não ajuste nada ainda, essa é a fase seguinte…

Junte as ideias dispersas
Imagem de Mihai Surdu por Pixabay

 3 – Ideias soltas

 Agora você tem uma ideia que acredita que pode ser bem interessante e suficientemente estruturada para poder seguir adiante. O passo seguinte é juntar-lhe alguns insights.

Não se preocupe em ser perfeito. Vá a cada um dos tópicos anteriores e comece a escrever o que lhe vem à cabeça sobre cada tema, complementando as ideias que tem lá.

Esse descompromisso ajuda-o a ter a energia de “ok, só tenho de escrever algumas coisas aqui.” Assim fica mais fácil de tirar tudo que está na sua mente e colocar no papel.

Mas tome nota: Este é o momento de se aprofundar no tema, não escreva os tópicos todos de uma só vez. Aprofundar significa pensar bem, pesquisar se for necessário, conversar com pessoas, ler… Em suma, dê toda a atenção que o tópico merece, ou seja analise no máximo três de cada vez.  

4 – Ajuste

Esta é a parte em que você entra no trabalho real, mas já não vai começar do zero. Agora você tem uma estrutura em que acredita, algumas ideias interessantes, e notas soltas que podem ser úteis. É altura de arregaçar as mangas e começar a fazer a lapidação

A dica de ouro aqui é:

  • O que não vai ser totalmente necessário, descarte. 

Comece por cortar partes similares, que são complexas agora, ou que você não tenha tanta certeza do resultado. Se tiver alguma ideia muito boa, mas que não cabe no seu horizonte de curto prazo, salve em outro documento e guarde para posteridade. O importante é deixar apenas o que é digno de confiança para executar.

É bom fazer essa etapa em um ou dois dias no máximo, para não perder o fio da meada de tudo que escrever, analisando todos os tópicos e conectando as partes, deixando apenas o essencial para conseguir começar algo em que acredite. 

faça ajustes no seu desenho
Imagem de William Iven por Pixabay

5 – Verifique

O que seria de um bolo sem aquele toque final dos confeiteiros que nos deixam a salivar só de ver. Depois de concluída a sua ideia no papel também deve ser algo digno de confiança, como o bolo que acreditamos ser bom só de ver.

Tem aqui outro artigo sobre o potencial da sua ideia que pode o ajudar nessa fase.

Claro que existem modelos prontos, como o CANVAS e outros, que lhe permitem verificar se está faltando algo para preencher no seu desenho. Também pode validar a sua ideia com pessoas que o possam ajudar nesse negócio.

“Eu não quero falar com ninguém, porque me roubam a ideia.”

É um erro pensar que a sua “boa ideia” vai ser roubada na primeira oportunidade. Geralmente as pessoas estão ocupadas com as suas próprias ideias e possibilidades na cabeça. Corre mais riscos de ver a sua ideia apropriada por outros quando estiver implementada – porque é o sucesso, comprovado pelo mercado, que torna uma ideia atrativa – do que uma ideia desenhada num papel. Em contrapartida, o feedback que receber agora é valioso para a implementação da sua ideia de negócio.

Procure saber o que as pessoas pensam da sua ideia
Imagem de athree23 por Pixabay

É melhor registar

 Quantas vezes eu fiquei chateado por não ter colocado aquilo que pensei num papel. No mínimo teria servido, em outro momento, para ajudar noutros projetos. Hoje sei que sempre tenho a ganhar quando faço isso.

 Começar do zero é difícil, mas o pior é nem começar.

 Com essas dicas simples e práticas você vai registar as suas ideias e organizá-las de forma rápida e eficaz para não perder tantas oportunidades. 

Conhece um amigo cheio de boas ideias, mas que não consegue fazer nada com elas? Mande o link deste artigo para ele. 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

1 × 1 =