Como promover uma aprendizagem bem-sucedida em 6 passos

Foto de Amy Hirschi no Unsplash

A transferência efetiva da aprendizagem ocorre por variadíssimos fatores, mas começa, desde logo, na forma como desenhamos e acompanhamos os percursos de aprendizagem: Quais as ferramentas e recursos utilizados? Que momentos síncronos e assíncronos contemplados? Os formandos vão aprender para além da teoria e da exposição de conhecimentos? Vão ter acesso a leituras, módulos e-learning interativos, classes virtuais, estudos de caso, vídeos e outros materiais multimédia? Vão experimentar e praticar através de simulação de casos, resolução de problemas e implementação em contexto real de trabalho? Vão ser acompanhados ao longo do seu progresso e partilhar as suas experiências com outros participantes, chefia direta, colegas ou pares?

Porque só é possível incrementar competências e acelerar verdadeiramente a performance através de uma aprendizagem que vá muito para além da mera aquisição de conhecimentos, partilho 6 passos para uma aprendizagem bem-sucedida:

1 – Para além de teoria, proporcione prática e feedback

Saber a teoria não é suficiente para dominar uma área… e os erros fazem parte do processo de aprendizagem, são eles que nos indicam que estamos a sair da nossa zona de conforto e nos ajudam a aprender!Aposte no feedback detalhado (testes, resolução de problemas, exercícios on-job…) que ajudem os formandos a corrigir os seus erros e aperfeiçoar o desenvolvimento das suas competências, práticas e comportamentos.

Foto de Christina@wocintechchat.com no Unsplash

2 – Combine diferentes formas de representar conceitos-chave

Aprenda a clarificar e gerir a quantidade de informação que quer transmitir, combinando diferentes recursos: texto, imagens, som, vídeo, animações, etc.. Selecione a informação a destacar e forneça materiais simples e com informação devidamente estruturada e organizada.

3 – Construa atalhos mentais que ajudem a memorizar

Faça um storyline para encadear vários conceitos ou ferramentas e utilize técnicas mnemónicas (metáforas, acrónimos, emoções…) que ajudem a relacionar conteúdos e facilitem o acessoàquilo que aprendeu.

4 – Apresente a informação certa na altura certa

Evite momentos de sobrecarga mental que podem impedir ou bloquear o processo de aprendizagem. Limite a informação a ser absorvida e varie os ângulos e os métodos de entrega para consolidar o conteúdo essencial. Divida ainda o conteúdo em sub-conteúdos, repartidos em sequências, e adapte cada um deles ao nível e perfil dos formandos.

Foto de Leon no Unsplash

5 – Promova o foco e a atenção dos formandos

Lembre-se que o cérebro é menos eficiente quando faz várias coisas ao mesmo tempo e, muitas vezes,um minuto focado é melhor do que cinco minutos de pensamento difuso!Dê instruções claras e organizadas, concentre-se no essencial e desenvolva o conteúdo gradualmente, para manter os participantes, não só focados, como alinhados e motivados com a sua jornada e objetivos de aprendizagem.

6 – Ajuste o nível certo de dificuldade

Encoraje os participantes a desenvolver o seu atual nível de proficiência, mas dando um pequeno passo de cada vez. Alterne os conceitos a serem aprendidos, proporcione diferentes tipos de suporte (tutoria, mentoring, coaching…), para que os formandos possam ter a oportunidade de fazer as suas próprias ligações entre conceitos, treinar, experimentar e pôr em prática, sendo agentes ativos do seu próprio processo de aprendizagem de uma forma progressiva e coerente.

Os percursos de aprendizagem contemplados no plano de formação da sua organização valorizam todos estes passos? Talvez esteja na hora de refletir sobre o assunto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

four × one =