Eficiência, tecnologia e segurança nos “negócios com futuro”

Foto de fauxels no Pexels

Numa visão a cinco anos (parece-me uma janela temporal razoável de análise), não me oferece dúvidas nenhumas afirmar que as empresas com maior probabilidade de prosperar são aquelas que abraçam a transformação digital e todos os seus efeitos concomitantes.

Os próximos cinco anos vão ser altamente desafiantes (tal como os anteriores foram) a nível de evolução e desenvolvimento tecnológico e com todas as mudanças imprevisíveis dos sistemas regulatórios, mercados e na gestão das pessoas.

Como tal, faça, desde já, uma análise/diagnóstico ao status quo da sua empresa. Todas as mudanças identificadas têm de ser encaradas como novos desafios, novos projetos, nova procura empresarial, seja B2B ou B2C.

A sua empresa sabe adaptar-se e está preparada para abraçar esses novos desafios de uma forma eficiente, com recurso à tecnologia disponível e utilizá-la de uma forma segura?

A meu ver é tudo uma questão de ADN. Se no ADN da sua empresa não existem os pilares da sustentabilidade, adaptação, criatividade, flexibilidade, eficiência, tecnologia e segurança, então não conseguirá sobreviver neste “novo” mundo cheio. O seu mindset tem de estar focado na adaptação constante. Ter capacidade de adaptação é a melhor resposta que pode ter para dar aos seus clientes.

Como, então, acompanhar as tendências para preparar a sua empresa para o futuro?

Eficiência, tecnologia de ponta e segurança devem ser os grandes objetivos da sua organização. O futuro, como já referi, aponta para o sentido único da transformação digital e a transição ambiental da economia, sociedade e empresas.

Profundas mudanças nos negócios vão surgir advindas das novas tecnologias, das quais destaco, desde já, a inteligência artificial. É imperativo acompanhar esta inovação tecnológica para que a sua organização se mantenha competitiva, saudável e, sobretudo, com objetivos e uma visão de futuro.

Não tenho dúvidas nenhumas de que a aposta na inovação tecnológica é o caminho para o crescimento e desenvolvimento da sua organização, a qual será amplamente reconhecida pelos seus clientes, aliada a um fator diferenciador da sua concorrência. Esta aposta irá permitir-lhe ter processos mais ágeis e mais eficientes, concomitantemente com diminuição de custos.

Foto de Min An em Pexels

Se seguir a filosofia de adotar a transformação digital como um hábito, a sua organização vai criar e agregar valor aos seus serviços e produtos, tornando-se num elemento diferenciador do mercado e, sobretudo, do cliente. Com a adoção desta solução, internamente, os modelos e processos de negócio vão tornar-se mais eficientes e evoluir à medida que vão detetando ineficiências nos seus processos.

O uso da tecnologia também significa que os clientes podem interagir a qualquer momento e em qualquer lugar. A automatização de processos aumenta a eficiência e minimiza o erro. Por outro lado, o uso desta nova tecnologia também lhe permite conhecer melhor o cliente, desenvolver novos produtos e/ou serviços, entre tantas outras vantagens.

De mãos dadas com a transformação digital está a preocupação com o ecossistema digital da sua empresa. A segurança digital tem de estar em contínua evolução por forma a acompanhar a expansão do digital.

A tecnologia está cada vez mais sofisticada e as organizações deparam-se com enormes desafios para proteger os seus dados e os dos seus clientes. E a verdade é que a realidade dos últimos anos tem demonstrado vários ciberataques a diversas organizações. Nenhuma organização está livre disso.

Se quer manter a sua empresa segura deverá ser proativo. A sua equipa de TI deverá estar empenhada em acompanhar as tecnologias que impulsionam a transformação digital de forma a minimizar riscos. O risco de sofrer um ciberataque não deve ser encarado apenas como um risco tecnológico, exclusivo da TI, mas também, e acima de tudo, como um risco de negócio. A responsabilidade é do todo, é da organização.

A preocupação com a cibersegurança tem de fazer parte da sua estratégia de negócio, tem de proteger devidamente os seus ativos tecnológicos. Para tal, contratar um serviço de SOC, security operations center, pode ser um bom início. Qualquer empresa deverá incluir e formar as suas equipas em cibersegurança no planeamento da estratégia. É fundamental estabelecer e manter processos de segurança da informação para assegurar a proteção do ecossistema digital.

Como se costuma dizer, “só há dois tipos de organizações: as que já foram atacadas e as que vão ser”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

one × 4 =