Índice da Excelência abre inscrições para candidaturas de empresas

Foto de Rodnae Productions em Pexels

Até 30 de novembro, as empresas podem participar na 7.ª edição do Índice da Excelência, o maior estudo de clima organizacional e desenvolvimento do capital humano gratuito realizado em Portugal. Na edição deste ano vai avaliada a satisfação dos colaboradores face aos temas da Sustentabilidade, Diversidade e Responsabilidade Social.

O Índice da Excelência é o maior estudo de clima organizacional e desenvolvimento do capital humano gratuito realizado em Portugal. Desenvolvido pela consultora de gestão especializada em Recursos Humanos Neves de Almeida HR Consulting, em parceria com o ISCTE Executive Education, o estudo tem como principal objetivo analisar as práticas de Recursos Humanos vigentes e permite às organizações que participam uma comparação com os seus concorrentes, tornando-se uma importante ferramenta de gestão.

As empresas podem inscrever-se através da Internet, até 30 de novembro. A participação é gratuita, e está garantida a confidencialidade dos dados durante todo o processo. No final do estudo a empresas serão classificadas de acordo com a pontuação obtida e serão premiados os primeiros classificados em várias categorias.

“Esta iniciativa pretende contribuir para alertar o tecido empresarial português para a importância e evolução das temáticas relacionadas com o clima organizacional e com a gestão estratégica do ativo humano, e tem tido uma adesão muito significativa por parte das empresas, cujos líderes reconhecem o valor que acrescenta esta ferramenta de gestão, permitindo-lhes tomar decisões sustentadas em dados”, sublinha Gonçalo de Salis Amaral, Partner da Neves de Almeida HR Consulting.

Foto de Anna Shvets em Pexels

Ao longo das últimas seis edições, foram analisados mais de 70 mil inquéritos e avaliadas mais de 1 000 empresas participantes. O Índice tem evoluído entre cada edição, procurando adaptar-se às tendências do mercado. Assim, este ano vai analisar a satisfação dos colaboradores face aos temas da Sustentabilidade, Diversidade e Responsabilidade Social.

O objetivo é “segmentar a satisfação por característica sociodemográfica, permitindo às organizações perceber quais os grupos que revelam maior e menor satisfação e engagement, e possibilitando o desenvolvimento de estratégias mais orientadas e focadas nas necessidades reais”, acrescenta Gonçalo de Salis Amaral. As análises serão feitas de acordo com o género, e serão também analisados os grupos de acordo com a sua antiguidade e faixa etária, numa altura de crescente preocupação por parte das empresas em ajustar soluções às gerações muito distintas entre si.

“Depois do movimento ‘Great Resignation’, com os colaboradores a repensarem a sua relação com o trabalho, assistimos ao acentuar da procura de um propósito. Desta forma vamos poder compreender como as organizações estão a lidar com este tema, se é uma tendência mais refletida nas grandes empresas ou se são as pequenas as mais envolvidas na sua comunidade, mas, sobretudo, vamos poder compreender como os colaboradores percecionam as políticas das suas organizações a este nível”, explica o especialista.

Paralelamente, será lançado um novo formato de relatório que incluirá o benchmark de boas práticas de mercado. “Terá como base uma análise qualitativa feita às organizações sobre as suas práticas de gestão e que atualmente já é utilizada para a ponderação do Índice da Excelência, juntamente com a Satisfação Global, o Engagement e a Taxa de Participação”, conclui Gonçalo de Salis Amaral.

A gala de entrega de prémios acontecerá em fevereiro do próximo ano, e regressará ao formato presencial, criando oportunidades de desenvolvimento de network entre as organizações participantes. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

nineteen − 17 =