Inflação: Preços de Produtos Não Alimentares Disparam em Portugal

Imagem de Freepik

Um estudo realizado pelo comparador de preços KuantoKusta revelou um aumento considerável nos preços de produtos não alimentares em Portugal. Desde o início do ano, o preço de um cabaz de produtos não alimentares subiu 15,04€, o que representa um aumento de 5,86%.

A plataforma de comparação de preços KuantoKusta analisou a variação de preços de produtos não alimentares de compra recorrente entre 4 de janeiro e 4 de junho deste ano. No início do ano, o cabaz médio de produtos não alimentares custava 256,52€, mas, após cinco meses, os preços desses mesmos produtos subiram cerca de 6%, atingindo 271,56€.

O estudo abrangeu produtos não alimentares, tais como produtos de higiene pessoal, cuidados capilares, cuidados corporais, depilação, cuidados da barba e alimentação para animais.

Entre os produtos analisados, as maiores subidas de preços foram registadas nas máscaras para cabelo (+20,03%), nas recargas de lâminas para homens (+18,85%) e nas máquinas manuais de depilação para mulheres (+14,81%).Por outro lado, as pastas de dentes (-0,73%), gel de banho (-2,33%) e champôs (-2,72%) desceram de preço do período analisado.

“A inflação e o impacto que teve nos preços destes produtos ainda se reflete na carteira dos consumidores. Todos os artigos analisados são de compra recorrente, ou seja, as oscilações de preço, mesmo que possam parecer pequenas, a longo prazo têm impacto significativo na carteira do utilizador”, reforça Ana Rego, gestora de comunicação do KuantoKusta.

No caso dos produtos de puericultura, o cenário é um pouco mais animador, com uma descida ligeira de 0,93% no custo do cabaz analisado. Este cabaz inclui fraldas, toalhitas, chupetas, creme muda fraldas, estojo de higiene, leite lactente, papa, iogurte, cremes, escova e pasta de dentes. Em 4 de janeiro, o cabaz custava 144,64€, mas registou uma pequena descida de 1,35€ nos cinco meses seguintes, passando a custar 143,29€.

As maiores variações de preços nessa categoria ocorreram nas escovas e pastas de dentes (-10,76%) e chupetas (-9,27%) em descida, enquanto produtos como leite lactante (+6,30%) e papas (+4,81%) apresentaram uma tendência de aumento nos preços.

“O nosso histórico e experiência combinada como comparador de preços e marketplace já nos mostrou que o cuidado de comparar os preços praticados pelas lojas permite ao consumidor alcançar poupanças substanciais. O que recomendamos é que, mesmo neste tipo de produtos, os consumidores acompanhem os históricos de preços e reforcem hábitos de comparação. A longo prazo, a poupança para as famílias pode ascender a centenas de euros”, aconselha Ana Rego.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

three × one =