Leon van der Laan: “Adaptar a estratégia para prosperar na era do trabalho online”

Na foto: Leon van der Laan

Com muitas startups a optar pelo teletrabalho para atrair mais talentos, prosperar na era do trabalho online requer soluções estratégicas personalizadas, reestruturação interna e uma visão clara para o futuro.

Apesar de bilionários como Elon Musk afirmarem que o trabalho remoto não é uma maneira eficiente de administrar um negócio, os especialistas insistem que a tendência para o teletrabalho não diminuirá. Por exemplo, gigantes digitais como o Facebook esperam que pelo menos metade dos seus funcionários trabalhe em casa, até 2030. No entanto, com 70% das startups tentando reter talentos com a opção de trabalho remoto, o sucesso do teletrabalho exige mais do que descobrir novos processos digitais.

Leon van der Laan, consultor de startups e fundador da empresa de consultoria e formação executiva REMODE, acredita que – com o apoio de especialistas – a adaptação dos processos internos pode dar às startups uma vantagem competitiva quando se trata de buscar talentos e expandir operações.

“Quando as empresas escolhem trabalho presencial, ficam limitadas a contratações locais”

Foto de Chris Montgomery no Unsplash

“Vivemos num novo cenário de negócios e as startups, como outros negócios, precisam de novas diretrizes não apenas para sobreviver, mas também para prosperar. Os consultores do setor podem ajudá-los a transformarem-se em negócios sustentáveis e lucrativos, resilientes o suficiente para resistir a qualquer desaceleração económica e lidar com o ambiente de trabalho remoto”, disse van der Laan.

“Quando as empresas trabalham apenas no local, elas ficam limitadas a contratações locais. No entanto, quando transferem todas as operações para o online, o mundo inteiro torna-se o seu “pool de talentos”, sublinha. “Dado que a Geração Z está a tornar-se a força de trabalho mais prevalente, as empresas também precisam levar em consideração seu ponto de vista, já que os funcionários da nova geração não entendem o deslocamento inútil e a atitude 9 às 5 ”, acrescentou o consultor.

“Flexibilidade, equilíbrio entre vida profissional e pessoal é o que os impulsiona e aumenta o engajamento profissional”, frisa van der Laan.

Foto de LinkedIn Sales Solutions em Unsplash

Definir uma visão remota clara nas prioridades estratégicas

Uma das principais prioridades para impulsionar o crescimento de uma empresa remota é aconselhar-se com um consultor de trabalho remoto para criar uma estratégia personalizada, disse o consultor de startups. A estratégia deve combinar aconselhamento teórico e conhecimento aprofundado sobre os meandros da startup.

“Estratégias desenhadas profissionalmente permitem que startups eliminem decisões e processos desnecessários que resultam da falta de planeamento estratégico. Um consultor pode ajudar a focar no que é essencial para o negócio, definir uma direção clara e forte e construir uma estrutura executiva simples em torno dela”, explicou van der Laan. “Ter uma direção clara de trabalho remoto já demonstrou que aumenta a lucratividade, ao mesmo tempo que incentiva a equipa a avançar, investindo tempo e experiência em novos processos e objetivos de negócios.”

Foto de Chris Montgomery no Unsplash

Organização interna reestruturada para estimular o crescimento remoto

Um dos casos exemplares para van der Laan é uma startup de recrutamento a que deu consultoria, depois de ter sido severamente afetada pela crise do COVID-19. A startup tinha cinco escritórios físicos espalhados pela Europa e, quando os funcionários começaram a sair, as operações da empresa estagnaram.

No entanto, após implementar novos processos remotos, ajustar a liderança para se adequar ao modelo de teletrabalho e repensar toda a estrutura organizacional, a startup fechou os escritórios físicos e passou a ser totalmente remota. Agora, a equipa da empresa duplicou e a receita aumentou 60%, enquanto os níveis de satisfação dos funcionários também aumentaram nos últimos anos.

O sucesso da startup resultou da mudança de processos internos e da adaptação das estruturas de comunicação, liderança e gestão de equipas ao modelo remoto. Da mesma forma, outras startups podem beneficiar desta reestruturação da organização interna e, por sua vez, prosperar em um ambiente remoto.

Para Leon van der Laan, ficar totalmente remoto significa enfrentar alguns dos desafios como a solidão dos membros da equipa, a falta de alinhamento de metas e a estagnação na comunicação interna.

“Esses problemas são principalmente resultado de uma estrutura organizacional imprópria que corresponde ao modelo de empresa baseada em escritório e não remota”, disse o consultor da startup. “Portanto, dedicar um tempo para pensar na organização da empresa e redesenhar os processos internos trará mais lucro sem sacrificar o talento ou a produtividade da equipa.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

eighteen + 15 =