Mercado de trabalho cresce mas empregadores têm dificuldade em recrutar talento

Foto de Scott Graham no Unsplash

As organizações estão a procurar ativamente oportunidades de crescimento naquele que é o mercado de trabalho mais competitivo dos últimos 80 anos. Os dados do último ManpowerGroup Employment Outlook Survey confirmam que as intenções de contratação estão em valores máximos. Em paralelo, 69% dos empregadores a nível global afirmam ter dificuldade em preencher cargos devido à falta de talento qualificado. É o valor mais alto dos últimos 15 anos.

O Total Workforce Index é um relatório do ManpowerGroup Employment Outlook Survey que analisou os impactos e estratégias para abordar a falta de ‘Talento de Crescimento’ nas organizações. Os dados do estudo sugerem que nunca foi tão difícil atrair, ativar e fidelizar o talento capaz de impulsionar o crescimento. Os desafios na contratação são significativos em muitos dos setores e tipos de função. No entanto, uma ameaça particular à competitividade – tanto para as organizações como para as economias – é a falta de “talento de crescimento” (growth talent).

O talento de crescimento oferece competências que expandem a transformação digital, aceleram o acesso aos mercados e potenciam a personalização dos produtos ou serviços. Com esta pesquisa, o Total Workforce Index disponibiliza informação relevante para que as empresas possam otimizar os seus investimentos em talento e aceder às competências que necessitam para o seu desenvolvimento.

“Os desafios de contratação vão além da escassez de talento global. A falta de ‘Talento de Crescimento’ ameaça particularmente a competitividade, tanto das organizações como das economias individuais”, explica Rui Teixeira, Chief Operations Officer no ManpowerGroup Portugal.

O ‘Talento de Crescimento’ diz respeito aos profissionais em constante desenvolvimento, capazes de se capacitarem a si e às organizações. “São aqueles que possuem um conjunto de skills que permitem expandir a transformação digital, acelerar a velocidade no acesso aos mercados e aumentar a capacidade de desenvolvimento de produtos e serviços alinhados com as necessidades dos clientes”, frisa Rui Teixeira.

Face a este desafio, o responsável do ManpowerGroup em Portugal recomenda que as empresas revejam as suas estratégias de talento, analisando a oportunidade de equilibrar o mercado de trabalho com estratégias de construção de talento através da formação e equilibrando o mix de modelos contratuais, para poderem aceder ao melhor talento qualificado que lhes permitirá continuar a crescer.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

twenty − five =