Profissionais descontentes com aumentos salariais

Profissionais descontentes com aumentos salariais
Foto de Stockking no Freepik

Dados recentes do Guia Hays 2023 revelam que o salário é o terceiro fator com maior percentagem de insatisfação por parte dos profissionais, tendo aumentado significativamente quando comparado com o inquérito de 2021.

No entanto, 48% dos empregadores afirma ter efetuado aumentos entre os 2,5% e os 9,9% e outros 23% procederam a aumentos em até 2,4%. Já do lado dos profissionais, 37% disse ter sido aumentado este ano – a maior percentagem desde 2018.

Estes dados revelam que empregadores e profissionais estão, em certa medida, alinhados relativamente aos aumentos salariais efetuados, no entanto, os profissionais, mesmo tendo sido aumentados, continuam extremamente insatisfeitos com o mesmo.

Será este cenário fruto dos efeitos da inflação, que tornaram estes aumentos insuficientes, ou as atualizações salariais que existiram não foram, de facto, ao encontro das expectativas da maioria dos profissionais?

Relativamente à evolução salarial dos profissionais, no ano passado, 55% referiu que o seu salário permaneceu igual – apenas 15% dizem ter sido aumentados em até 2,4% e 16% entre 2,5% e 9,9%. Além disso, 62% dos profissionais nem sequer pediu um aumento salarial em 2022 enquanto 23% pediu, de facto, um aumento salarial, porém sem sucesso.

Expectativas e negociações salariais dos profissionais

No que diz respeito a expectativas salariais para 2023, 31% dos profissionais esperam que o seu salário aumente em pelo menos 10% – em oposição, apenas 7% dos empregadores prevê o mesmo cenário.

Relativamente à negociação do pacote salarial, 36% dos profissionais afirma ter negociado o seu pacote salarial este ano – mais 5% do que o ano anterior.

No relatório deste ano, o Guia Hays inquiriu ainda os profissionais sobre de que forma os seus empregadores asseguram a transparência relativamente aos aumentos e níveis salariais.

Apenas 2% dos inquiridos diz que são divulgados os salários de todos os colaboradores enquanto 4% diz que são divulgados os intervalos salariais. 16% diz que são estabelecidos critérios para haver aumentos salariais, mas 66% diz que nenhuma das opções se aplica à sua organização e 13% nem sequer tem a certeza se existem parâmetros para garantir a transparência salarial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

5 × 3 =