Startup Lisboa premeia startups do ecossistema da restauração

Robert Brunt e Dominique Maingard, fundadores Tiger & Bean
Robert Brunt e Dominique Maingard, fundadores Tiger & Bean (Foto de Startup Lisboa)

NoSho e Tiger & Bean foram os vencedores da terceira edição do From Start-to-Table, o programa de aceleração da Startup Lisboa para negócios ligados ao ecossistema da restauração. Este ano, o programa incidiu em duas áreas de negócio: “Tecnologia para Restauração” e “Conceitos de Restauração e Produtos de Food & Beverage Sustentáveis”.

Os vencedores foram escolhidos entre 24 equipas finalistas, num Demo Day que decorreu online, na passada sexta-feira. No evento que marcou a final do programa, os finalistas apresentaram o pitch e mostraram o resultado das nove semanas de aceleração.

“Desenvolvemos todos os esforços possíveis para conseguirmos atingir, agora num ambiente totalmente digital, os objetivos de sempre e os resultados superaram, claramente, as nossas melhores expectativas. Conseguimos mobilizar um número muito significativo e relevante de pessoas e parceiros deste ecossistema que, com uma enorme generosidade, contribuíram com o seu saber e experiência para darem mentoria, inspirarem e, no fundo, apoiarem estes empreendedores e os seus negócios. Este acompanhamento próximo, a par do intenso trabalho desenvolvido pelos empreendedores, permitiram uma evolução consistente dos projetos, durante estas nove semanas”, explica Miguel Fontes, diretor executivo da Startup Lisboa.

Este ano, o programa recebeu mais de 115 candidaturas, 51% na categoria de “Tecnologia para Restauração” e 49% na categoria de “Conceitos de Restauração e Produtos de Food & Beverage Sustentáveis”, tendo contado com 63% de participantes estrangeiros.

Para Rita Marques, Secretária de Estado do Turismo, “o From Start-to Table é já uma referência no sector e os meus votos são para que todos os participantes e parceiros continuem a ajudar e a contribuir para que o turismo de amanhã seja melhor e mais inteligente. Sustentabilidade, tecnologia e inovação têm que fazer parte do mesmo caminho e é incontornável quando pensamos no futuro do turismo e da restauração, tal como se viu no programa.”

Tânia Figueiredo e Salvador Rodrigues, fundadores NoSho. Foto de Startup Lisboa.

Projetos vencedores

NoSho, foi a startup vencedora da categoria de “Tecnologia para Restauração”. Fundada por Tânia Figueiredo e Salvador Rodrigues (Portugal), é uma aplicação que vem acabar com os no-shows. É uma solução que prima pela espontaneidade ao ajudar os clientes a encontrar uma mesa de última hora em restaurantes que são normalmente difíceis de obter reserva, ao mesmo tempo que reabastece lugares vazios em restaurantes.

Tiger & Bean, foi a startup vencedora da categoria de “Conceitos de Restauração e Produtos de Food & Beverage Sustentáveis”. Foi fundada por Robert Brunt e Dominique Maingard (Reino Unido e África do Sul) e tem a missão de criar alternativas mais saudáveis de produtos consumidos por miúdos e graúdos, como é o caso do famoso chocolate em pó e leite em chocolate, utilizando um produto desconhecido pelo mercado de massas, a junça.

As duas equipas vencedoras ganharam, cada uma, 10 mil euros.

Ao longo destas três edições, o Programa conta já com mais de 350 candidaturas, de mais de 30 países e foi responsável pela aceleração de mais de 70 projetos e negócios. Esta terceira edição, para lá dos empreendedores nacionais, contou ainda com a participação de empreendedores de mais de dez países: Angola, África do Sul, Alemanha, Áustria, Brasil, Espanha, EUA, Lituânia, Reino Unido e Venezuela.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

2 + four =