Workplace Innovation – Criar Alto Desempenho, Melhorar a Qualidade e Aumentar o Compromisso nas Empresas Europeias

Imagem de Malachi Witt por Pixabay

Empresas em toda a Europa enfrentam desafios sem precedentes numa economia europeia dominada pela globalização, rápidos avanços tecnológicos, mudanças demográficas e mudanças nas exigências dos consumidores. A capacidade de reinventar continuamente produtos, serviços e processos está a tornar-se essencial para a sobrevivência e o sucesso.

O conceito chave aqui é a inovação no local de trabalho, desenvolvida no início deste século para ajudar as empresas a melhorar a produtividade, aumentar a capacidade de inovação e melhorar a saúde e o bem-estar dos colaboradores.

Os Governos e agências de apoio empresarial da Finlândia à Escócia e ao País Basco estão a promover a inovação no local de trabalho para estimular a competitividade das empresas e a saúde e o bem-estar dos seus colaboradores

WORKPLACE INNOVATION NA PRÁTICA

Podemos identificar quatro “Elementos” interdependentes da inovação no local de trabalho que se combinam para formar “O Quinto Elemento Essencial”, uma poderosa combinação de alto desempenho, inovação e compromisso dos colaboradores: organização do trabalho (job design) e trabalho em equipa autogerido.

1. Organização dos postos de trabalho e equipas autogeridas

Um vasto e crescente corpo de evidências e experiências, mostra que as práticas no local de trabalho que capacitam os colaboradores a tomar decisões quotidianas, desafiam as práticas estabelecidas, contribuem com ideias e são ouvidas nos níveis mais altos, levando a melhores resultados de negócios, bem como a uma melhor saúde e compromisso dos colaboradores, Em segundo lugar, há uma lacuna substancial entre “o que funciona” e o que acontece na maioria dos locais de trabalho.

Os benefícios da inovação no local de trabalho, para os colaboradores, são também demonstrados por um número substancial de pesquisas. Práticas de trabalho participativas, como o trabalho em equipa auto-organizado, aumentam a motivação dos colaboradores e a qualidade de vida no trabalho, desempenhando um papel particularmente importante na redução do stresse dos colaboradores, aumentando a satisfação no trabalho e a saúde mental e melhorando a retenção.

Imagem de Gerd Altmann por Pixabay

2. Estruturas organizacionais, gestão de linha e procedimentos

Para ser eficaz, uma organização deve alinhar a sua estrutura, papéis e comportamentos de gestão e os procedimentos internos com a sua visão e estratégia. As organizações que procuram incorporar inovação e melhoria construtivos, às práticas de trabalho diárias, maximizar a produtividade e minimizar o desperdício e criar uma força de trabalho totalmente comprometida, só podem esperar ter sucesso quando as pessoas se sentirem parte da organização como um todo.

Os objetivos individuais e de equipa têm de apoiar claramente o alcance das metas organizacionais. Os colaboradores têm de ser ajudados a entender todo o processo de produção ou prestação de serviços e colaborar em diferentes áreas funcionais. Os gestores devem concentrar-se em treinar os colaboradores para que atinjam todo o seu potencial, evitando a microgestão, fornecendo-lhes o conhecimento, o saber-fazer e a confiança para exercer o seu trabalho de forma eficaz.

Os benefícios para as organizações e seus colaboradores são múltiplos. O fluxo de trabalho move-se sem problemas entre áreas funcionais, com menos atrasos e pontos de pressão. Os gestores são libertados para se concentrarem em tarefas que refletem os seus pontos fortes individuais e contribuem com valor para o seu salário, em vez de interferirem num trabalho melhor realizado por pessoas com cargos menos altos. As pessoas aprendem e desenvolvem-se no seu trabalho, revelando talentos surpreendentes e potenciais.

3. Inovação e melhoria orientada por colaboradores

Oportunidades sistemáticas de aprendizagem partilhada e reflexão estão bem inseridas em organizações inovadoras.  Significa a capacidade dos colaboradores, em todos os níveis, de refletir sobre o que deu certo e o que pode ser melhorado no futuro, partilhar conhecimentos e saber-fazer adquiridos no decorrer da experiência de trabalho recente e antecipar e refletir sobre os impactos dos desafios futuros e mudar. Essa cultura de melhoria e inovação pode-se refletir em horários e espaços regulares em que os colaboradores discutem ideias com colegas de trabalho ou em reuniões de equipa.

Imagem de mohamed Hassan por Pixabay

4. Liderança co-criada e voz dos colaboradores

É dada na literatura especial atenção à importância da liderança no estímulo à inovação. Liderança eficaz é co- criada com colaboradores de todos os níveis, através de atividade dinâmica e coletiva, com um forte foco na construção de relacionamentos. É tanto de baixo para cima, como de cima para baixo, caracterizando-se por interações igualitárias frequentes e mudanças de papéis, nas quais os indivíduos lideram em algumas situações, mas “são seguidores” em outras. A liderança co-criada é mais eficaz, porque pode garantir a apropriação (ownership) generalizada tantos dos processos como dos resultados, em vez de procurar a mera conformidade.

A ALQUIMIA DO QUINTO ELEMENTO ESSENCIAL

O Quinto Elemento Essencial destaca a importância de entender a interdependência entre as práticas de trabalho descritas em cada um dos quatro Elementos. Existem pesquisas suficientes para demonstrar que cada conjunto de práticas descritas em cima não existe isoladamente, mas é influenciado, para melhor ou para pior, pela medida em que os valores e objetivos que o sustentam são apoiados pelos outros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

sixteen + thirteen =