5 ferramentas tecnológicas essenciais para as PME

Imagem de Tung Nguyen do Pixabay

Atualmente, o acesso a ferramentas tecnológicas que permitem às empresas ter mais informação sobre os clientes e disponibilizar uma oferta mais personalizada já não é exclusivo das grandes empresas de retalho.

Neste artigo a Mollie, um dos processadores de pagamento com crescimento mais rápido da Europa, explica aos leitores do Empreendedor quais as ferramentas que podem apoiar os pequenos comerciantes e contribuir para o crescimento dos negócios das Pequenas e Médias Empresas (PME).

As grandes empresas dispõem de recursos para terem grandes equipas de engenharia, com conhecimento de software, em contraste com as PME que apresentam níveis de maturidade digital inferiores. No entanto, as últimas têm a mesma vontade de crescer e evoluir e podem ter acesso a ferramentas igualmente importantes.

“Os modelos comerciais mudaram e, atualmente há uma maior diversidade na oferta de ferramentas tecnológicas que permitem que as empresas com menor conhecimento digital e menores recursos possam adotar esta inovação e competir com os concorrentes”, afirma Marco dos Santos, Chief Technology Officer da Mollie. “Desta forma, os pequenos retalhistas conseguem ser tão rápidos como as grandes marcas e disponibilizar uma oferta mais personalizada”.

Imagem de Mudassar Iqbal do Pixabay

1 – Sistemas de planeamento de recursos empresariais (ERP)

Os ERP ajudam a gerir os recursos das empresas de e-commerce, tais como, a gestão de stocks, o acompanhamento das vendas e a gestão de projetos. Ao integrar todos os sistemas num só, é possível reduzir o tempo gasto em tarefas administrativas e ganhar mais tempo para outras prioridades do negócio. Os melhores sistemas ERP utilizam machine learning e inteligência artificial para automatizar processos e fornecer mais dados sobre o negócio.

2 – Provedores de serviços de pagamento (PSP)

A utilização de um PSP ajuda a oferecer múltiplos métodos de pagamento aos clientes e é essencial para qualquer negócio que faça e-commerce. Atuam como um intermediário entre a loja online, opções de pagamento e os clientes. Os bons PSP tratam de todo o processo de transferência de pagamentos eletrónicos, assegurando o pagamento de faturas a tempo e a obtenção de feedback em tempo real sobre o negócio.

Imagem de Mohamed Hassan do Pixabay

3 – Tecnologia de gestão da relação com o cliente (CRM)

Os sistemas de CRM podem ajudar a melhorar a experiência do consumidor, racionalizar processos e aumentar as conversões. Além da recolha de informação básica, como o histórico do cliente, identificação de problemas e o estado das encomendas, um CRM avançado pode dar também informações mais detalhadas como o engagement dos clientes nas redes sociais.

4 – Ferramentas analíticas

Atualmente, as empresas conseguem ter acesso a grandes quantidades de dados de clientes, contudo, é importante saber analisá-los para poder retirar conclusões e estratégias para os seus negócios. Com o uso da cloud, o processamento e análise de dados é muito mais rápida e permite personalizar a experiência do cliente, identificar fraudes e otimizar os preços. É possível também prever as tendências e a procura, o que permite às empresas planear stocks para períodos específicos de pico de vendas.

Imagem de Mudassar Iqbal do Pixabay

5 – Soluções de entrega

Algumas soluções de entrega podem automatizar os processos logísticos de uma empresa, incluindo a sua gestão e acompanhamento. As soluções ajudam as empresas a organizar os fluxos de trabalho, reduzir custos e, consequentemente, garantir a satisfação dos clientes com os prazos de entrega, rastreio em tempo real e ter um sistema de devoluções mais fácil e eficaz.

Estas são as cinco ferramentas tecnológicas essenciais para as PME, segundo a Mollie, a startup da indústria de pagamentos que é também um dos processadores de pagamentos com crescimento mais rápido na Europa.

A Mollie é uma das maiores fintech privadas na Europa e ajuda os comerciantes europeus a integrarem rapidamente todos os principais métodos de pagamento, oferecendo uma melhor experiência de pagamento aos consumidores. Esta abordagem personalizada e diferenciadora levou o unicórnio holandês a levantar uma ronda de financiamento Série C de 665 milhões de euros, em 2021. Nesse ano, a empresa instalou o seu centro de desenvolvimento tecnológico em Lisboa e tem a ambição de recrutar 100 pessoas até 2023.

Fundada em 2004, a Mollie tem mais de 125.000 clientes na Europa e é composta por uma equipa internacional de mais de 700 profissionais. Tem sede em Amesterdão e um centro de desenvolvimento de negócios em Lisboa. A empresa conta ainda com escritórios em Berlim, Kiel, Londres, Maastricht, Munique e Paris.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

one × two =