Exportações e importações globais crescem impulsionadas pela China

Exportações de mercadorias do G20 apresentam crescimento após dois trimestres de queda

Ilustração de Freepik

Após enfrentar dois trimestres consecutivos de declínio, as exportações de mercadorias entre os países do G20 mostraram sinais de recuperação no primeiro trimestre de 2023, de acordo com dados divulgados recentemente pela OCDE.

O relatório sobre o Comércio Internacional do G20 revela que as exportações, medidas em dólares correntes dos Estados Unidos, tiveram um aumento de 2,2% em relação ao último trimestre de 2022, impulsionadas, em grande parte, pela retoma da atividade económica na China. Esse crescimento representa um alento para a economia global, que procura recuperar dos impactos da pandemia de COVID-19.

Por outro lado, as importações de mercadorias do G20 apresentaram uma contração de 1,2% no primeiro trimestre de 2023. Esse declínio reflete, principalmente, a queda nos preços de energia, que impactou negativamente o volume de importações. No entanto, é importante destacar que a redução nas importações foi parcialmente compensada pelo aumento nas vendas de veículos e peças de reposição, o que contribuiu para o crescimento das exportações na América do Norte, com aumentos de 1,0% nos Estados Unidos, 1,2% no Canadá e 1,2% no México.

Foto de Freepik

União Europeia regista aumento nas exportações

Na União Europeia, as exportações de mercadorias apresentaram um crescimento de 3,0%, impulsionado pelo aumento nas entregas de máquinas provenientes da França, Alemanha e Itália. No entanto, as importações da UE registraram uma contração de 1,1%, em grande parte devido à queda nos preços de energia. Enquanto as exportações permaneceram estáveis no Reino Unido, as importações sofreram uma queda. Esse cenário foi influenciado pelo aumento das vendas de máquinas e equipamentos de transporte, que compensaram a redução nas entregas de produtos químicos e combustíveis.

Além do comércio de mercadorias, o relatório também revelou uma recuperação no comércio de serviços entre os países do G20. As exportações de serviços apresentaram um crescimento estimado em cerca de 2,4% no primeiro trimestre de 2023 em relação ao trimestre anterior, enquanto as importações registaram um aumento de 4,9%. Essa aceleração refletiu uma retoma na atividade turística, impulsionando o transporte de passageiros e viagens, o que acabou compensando a queda no transporte de mercadorias.

Imagem de ilovehz no Freepik

China impulsiona exportações de serviços no Japão e Austrália

A China desempenhou um papel importante na recuperação do comércio de serviços, com um aumento significativo nas importações de viagens após o levantamento das restrições à mobilidade. Isso contribuiu para um crescimento expressivo nas exportações de serviços do Japão (+7,2%) e da Austrália (+11,8%). No entanto, a queda nas tarifas de transporte marítimo impactou negativamente as exportações de serviços da China e da Coreia (-2,2% e -8,3%, respetivamente), dois dos principais exportadores de serviços de transporte.

De uma maneira geral os dados do primeiro trimestre de 2023 mostram sinais encorajadores de recuperação no comércio global. Após enfrentar uma queda consecutiva nas exportações de mercadorias, os países do G20 experimentaram um crescimento de 2,2%, impulsionado pela China.

No entanto, as importações foram afetadas pela queda nos preços de energia. Além disso, o comércio de serviços apresentou uma recuperação significativa, impulsionado pela retomada do turismo e viagens internacionais. Enquanto alguns países registaram um forte crescimento nas exportações de serviços, outros enfrentaram desafios devido à queda nas tarifas de transporte marítimo. No geral, esses dados indicam um panorama promissor para a economia global, à medida que o mundo busca se recuperar dos impactos da pandemia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

four × four =