João Carvalho: “Os diretores financeiros são mais do que ‘simples’ contabilistas”

João Carvalho, da SAP Concur, explica o papel dos diretores financeiros numa organização

João Carvalho, Head of SAP Concur | Southern Europe

Neste artigo de Opinião, João Carvalho, da SAP Concur, explica o papel dos diretores financeiros numa organização.

Serão os Diretores Financeiros (CFO) “apenas” aqueles que fazem somatórios e estão atentos aos gastos na organização? Não, de todo. Os diretores financeiros desempenham um papel crucial ao preparar a empresa para o futuro, via inovação, sustentabilidade ou melhorando a experiência dos funcionários, e ao ter uma voz ativa sobre a implementação de novas tecnologias, como a Inteligência Artificial (IA).

De facto, o papel do CFO está em constante evolução! As suas competências analíticas e conhecimentos são mais valiosos do que nunca face à imprevisibilidade e à turbulência económica dos dias de hoje. Um estudo muito recente da SAP Concur – CFO Insights – revelou que 90% dos diretores financeiros seniores concordam que, atualmente, a sua principal tarefa é preparar a empresa para o inesperado, sendo que apenas 2% discordam.

Com as ferramentas analíticas corretas e as relações seniores estabelecidas, há muitas formas de os CFOs irem muito além da persona de “contabilistas” para terem um impacto positivo nos colaboradores e na empresa como um todo.

O papel dos diretores financeiros nas organizações
Foto de Freepik

Dos números aos insights e às oportunidades

As certezas são difíceis de obter no mundo dos negócios. O Índice de Incerteza Mundial do FMI tem revelado uma tendência clara, desde 2000, para a crescente instabilidade económica, com a guerra na Ucrânia a desencadear a mais recente onda de agitação. Perante este cenário, e de acordo com o nosso estudo, a maioria dos líderes financeiros afirma que o seu principal desafio interno é a crescente complexidade da previsão e da orçamentação.

Todos estes fatores tiveram impacto no papel do diretor financeiro. Os diretores financeiros evoluíram para se tornarem a linha da frente no que à preparação das empresas para o inesperado, diz respeito – quer se trate de uma inflação elevada, de guerras comerciais internacionais ou das “perturbações” causadas pelas novas tecnologias.

Estes desafios estão a suscitar novas ideias e respostas. Os líderes financeiros estão a adaptar-se à mudança, acompanhando mais de perto as condições do mercado (57%), bem como investindo na inovação (40%) e em tecnologias de ponta, como sejam a automatização e a inteligência artificial (33%): não estão a reduzir os custos, mas a obter informações e a responder de forma criativa.

As ferramentas de análise de dados e de elaboração de relatórios são essenciais para reduzir o risco – o que, por sua vez, deu aos diretores financeiros uma visão muito mais aprofundada das suas organizações e das oportunidades de crescimento. Com a estratégia de dados, a tecnologia e as competências adequadas, os líderes financeiros podem utilizar a análise para compreender melhor quase todos os aspetos da empresa e apoiar os seus pares na equipa executiva. Em vez de se limitarem a comunicar os números, os diretores financeiros podem ajudar a identificar caminhos inesperados e a preparar a empresa para o que o futuro lhes reserva.

sustentabilidade e valor financeiro da marca
Foto de Freepik

Apoiar e impulsionar a agenda ecológica

A sustentabilidade é outra área em que os CFO estão a fazer a diferença. As questões ambientais, sociais e de governação (ESG) são mais importantes do que nunca para o planeamento empresarial, e o maior incentivo vem dos investidores. De acordo com o estudo CFO Insights, os diretores financeiros afirmam que os investidores estão a exercer pressão sobre as questões de sustentabilidade (42%) – mais do que clientes, governo, colaboradores ou entidades reguladoras.

Os diretores financeiros têm um papel fundamental a desempenhar quer seja na medição como na condução do progresso da sustentabilidade, uma vez que podem aceder e integrar informações de toda a empresa, para compreenderem o desempenho das diferentes áreas e identificarem os pontos a melhorar. Isto é vital para a elaboração de relatórios ESG, mas constitui igualmente uma oportunidade para promover a mudança de comportamentos em toda a empresa.

As viagens de negócios são por hábito um dos focus de atenção para os líderes financeiros. Com sistemas inteligentes de viagens e despesas (T&E), os diretores financeiros podem compreender o impacto das viagens em toda a empresa, obtendo informações sobre as emissões de carbono, os principais destinos, os fornecedores ecológicos e os comportamentos de despesa dos viajantes. As políticas de despesas podem, por isso, ser elaboradas em função da sustentabilidade, para incentivar viagens mais ecológicas.

É importante salientar que, munidos destas ferramentas, os colaboradores também podem compreender o seu próprio impacto, controlando a sua pegada de viagem, bem como receber opções práticas para compensar as suas deslocações. Ao fornecer este tipo de ferramentas e informações, os diretores financeiros podem ajudar os colaboradores de toda a empresa a fazer escolhas mais sustentáveis.

organizar para tomar decisões acertadas
Foto de Our Team em Freepik

Tornar a empresa mais diversificada, inclusiva e atrativa

As pessoas são, obviamente, o ativo mais valioso de qualquer empresa – e os diretores financeiros podem não só melhorar a sua produtividade, como são essenciais para tornar o local de trabalho mais diversificado, inclusivo e atrativo. O estudo revelou que os diretores financeiros estão interessados em colaborar mais estreitamente com os diretores de RH, em especial no que diz respeito aos indicadores de desempenho da empresa e às estratégias para aumentar a satisfação dos trabalhadores.

A recolha de dados corretos é fundamental. Os indicadores, que vão além dos números, podem fornecer uma visão mais completa da saúde da empresa e ajudar a orientar a sua estratégia de talentos. Com uma visão mais detalhada da experiência dos colaboradores, os líderes financeiros e de RH podem, por exemplo, chegar à conclusão que as equipas valorizam de igual modo, para se concentrarem, tanto o trabalho flexível e/ou o espaço como as recompensas monetárias.

Através de ajustamentos contínuos, os líderes podem criar um ambiente de trabalho mais motivador, logo produtivo, com um impacto mensurável no desempenho da empresa. Os líderes financeiros também podem fornecer ferramentas que aliviem as frustrações dos colaboradores. Como? Através de ferramentas inteligentes de viagens e despesas que utilizam a automatização para poupar tempo e esforço. Também é possível fornecer informações valiosas para as viagens, como assistência médica e segurança em diferentes destinos, para garantir que as viagens sejam inclusivas para todos os funcionários. Tudo isto contribui para um ambiente de trabalho gratificante e atrativo para as pessoas de toda a empresa, quer estejam dentro ou fora do escritório.

gestão financeira
Foto de Drazen Zig em Freepik

A arma secreta da empresa

Analisar números é, obviamente, um ponto forte de qualquer diretor financeiro, especialmente num contexto de incerteza. No entanto, no atual ambiente empresarial, podem fazer muito mais: acrescentar perspicácia, criatividade e sustentabilidade à empresa – e capacitar os colaboradores para o sucesso. É fundamental dispor dos sistemas e dados corretos, para que os diretores financeiros possam não só combater a incerteza, mas também preparar as organizações para o futuro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

sixteen + sixteen =