Recém-Formados Valorizam o Trabalho Híbrido como Positivo para as suas Carreiras

Foto de Mary Markevich em Freepik

Uma recente pesquisa realizada pelo CEMS, uma aliança global composta por 33 das melhores escolas de negócios do mundo, da qual a Nova SBE faz parte, revela que 61% dos jovens profissionais que ingressaram recentemente no mercado de trabalho acreditam que o trabalho híbrido terá um impacto positivo nas suas carreiras. A pesquisa, que envolveu 200 jovens profissionais de todo o mundo, destacou benefícios como maior flexibilidade, redução de custos e o reconhecimento das empresas como os principais impulsionadores dessa preferência.

A preferência pelo trabalho híbrido como cenário ideal foi confirmada após entrevistas qualitativas iniciais. Os entrevistados destacaram vários benefícios, incluindo:

  • Oportunidade de Viajar Enquanto Trabalha: na opinião dos inquiridos, o trabalho híbrido oferece mais flexibilidade para viajar e até mesmo trabalhar enquanto está em trânsito, conhecido como “workcations”;
  • Sentimento de Valorização: A capacidade de definir horários de trabalho gera confiança e valorização por parte dos empregadores em relação aos jovens profissionais;
  • Acesso a Mais Oportunidades de Emprego: A flexibilidade proporcionada pelo trabalho híbrido abre portas a oportunidades de trabalho que anteriormente não estavam disponíveis;
  • Redução de Custos: Escolher residir fora das grandes cidades e reduzir as deslocações economiza tempo e dinheiro;
  • Melhor Equilíbrio entre Trabalho e Vida Pessoal: A maior disponibilidade de tempo permite dedicar mais tempo a hobbies, estudos, exercícios físicos e à família, contribuindo para um melhor bem-estar pessoal;
  • Maior Foco: Trabalhar em casa permite um ambiente mais tranquilo e focado, com menos interrupções frequentes do ambiente de escritório.
Foto de Freepik

Embora o trabalho híbrido seja preferido, a pesquisa também revelou que o trabalho totalmente remoto não é uma opção viável para a maioria dos entrevistados. O tempo gasto com colegas, seja no trabalho ou fora dele, foi considerado vital para o sucesso da carreira, proporcionando oportunidades importantes de networking e aprendizagem. Reuniões presenciais regulares com equipas de trabalho também foram consideradas essenciais.

Catarina António, recém-graduada do CEMS Master’s in International Management (CEMS MIM) na Nova SBE, comentou que “A nossa geração habitou-se a trabalhar remotamente enquanto estudava e, para nós, não é necessariamente menos produtivo. Somos uma geração muito flexível e adaptável, por isso gostamos de poder trabalhar no escritório ou em casa e de acordo com nossos próprios horários. No entanto estamos conscientes de que, se formos totalmente remotos, perderemos uma parte importante do trabalho em comunidade e da cultura do escritório.”

Também para Tolga Kirkali, também recém-graduado do CEMS MIM na Nova SBE, “A experiência online durante a pandemia fez-nos perceber que é fácil integrar a vida profissional na sua própria vida utilizando a tecnologia. É possível construir uma vida e uma carreira se conseguirmos combinar tudo: só precisamos de um computador e podemos trabalhar a partir de qualquer lugar no mundo. O movimento nómada digital é exatamente a prova disso”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

16 + 8 =