Ricardo Franco: Quando o sucesso ‘é mais bolos’

Foto: Ricardo Franco, fundador do ChefPanda

Ricardo Franco é um empreendedor que decidiu lançar um projeto para “adoçar momentos felizes”. Em cinco anos o ChefPanda ganhou espaço na venda online de produtos de pastelaria. Recentemente alargou a operação a Espanha e, à carta de bolos, acrescentou ainda as flores para que os mais ocupados – e os mais esquecidos – possam alegrar os seus momentos especiais.

O ChefPanda é um marketplace orientando para a venda online de bolos personalizados, com o objetivo de marcar momentos importantes. Fundado por Ricardo Franco, o ChefPanda surgiu quando este se lembrou que precisava de comprar um bolo para o aniversário da mãe.

“Ao navegar pela Internet enquanto ia para casa, reparei que não existia um género de pastelaria online nem nenhuma loja que permitisse encomendar bolos de aniversário rapidamente. Assim, construímos em 2017 uma solução que permitia personalizar bolos de aniversário como se estivéssemos a falar com o pasteleiro. Hoje, além de bolos é também possível personalizar arranjos de flores, para serem entregues em qualquer ponto de Portugal Continental”, diz Ricardo Franco.

A possibilidade de encomendar produtos para festas ou para assinalar um momento especial é o elemento diferenciador da plataforma lançada por Ricardo Franco. Bolos, flores ou prendas específicas para dias importantes, como o dia dos namorados ou o dia do pai, fazem parte do conjunto de serviços propostos pelo ChefPanda, que garante entregas no próprio dia/dia seguinte, e personalização de acordo com a vontade do cliente, como se fosse comprado na loja física.

Ao mesmo tempo, ao assentar a produção numa rede de parceiros, a plataforma de Ricardo Franco ajuda os produtores no aumento da faturação, tornando mais eficientes as vendas e mantendo os padrões de qualidade e profissionalismo dos parceiros associados.

Com uma equipa de oito pessoas, divididas pela área de gestão, marketing, financeiro, operações, produto e apoio ao cliente, Ricardo Franco juntou a sua experiência adquirida enquanto diretor de Marketing da 360imprimir, à de outros membros da equipa com percursos profissionais nas áreas de operações de apoio ao cliente. Atualmente a empresa opera também em Espanha.

“o principal desafio é fazer um negócio online em Portugal”

“Desde pequeno que tinha o sonho de ter o meu próprio negócio. A responsabilidade, proatividade e ética de trabalho necessárias para tal são valores que aprecio bastante. Vem também de família visto que o meu pai e os meus avós têm/tiveram também os seus negócios”, sublinha o fundador do ChefPanda.

Enquanto empreendedor, Ricardo Franco sublinha que o principal desafio “é a dificuldade de fazer negócio online em Portugal. A penetração de ecommerce em Portugal é muito baixa comparativamente a grande parte dos países europeus. Se vender online é difícil, imagine-se vender um produto sensível e que estamos habituados a comprar na pastelaria mais perto”.

 “É preciso lutar muito e ser um pouco louco, porque no início todos os indicadores apontam que seja mais provável que o negócio morra do que cresça. Mas desistindo, nunca se saberá se resultaria. E uma das coisas que quero minimizar é o número de arrependimentos quando tiver 90 anos”, acrescenta.

Para os empreendedores que estão a lançar plataformas de vendas online, Ricardo Franco explica que “no início, com pouco tráfego, é difícil de perceber por que é que não há encomendas”. Para acompanhar a evolução das várias melhorias que ia fazendo ele montou um funil de vendas através dos objetivos do Google Analytics.

“Há uma framework da Google que ajuda bastante, que basicamente tem três passos que permitem identificar os principais pontos negativos; pensar nas razões que podem justificar esses pontos negativos; e estudas as hipóteses que podem resolver essas razões”. Depois é só testar essas hipóteses e medir os resultados.

Não quer dizer que os resultados sejam os esperados logo no primeiro momento. Para Ricardo Franco o essencial mesmo é “nunca desistir”. “Mesmo que o projeto corra mal, aprender-se-á mais do que noutra empresa porque ao criar algo de raiz temos de fazer tudo e passar por situações que nos vão fazer crescer em todos os aspetos: pessoal e profissional”.

“Naturalmente, quando se é novo há pouco risco”, sublinha. “Possivelmente vive-se com os pais e não uma família que dependa de nós. Por isso, quando temos um sonho, devemos de ir atrás dele, quanto antes (eu comecei o projeto com 24 anos) e ter coragem para dar o primeiro passo, com a noção que nos primeiros meses é normal errar, porque é algo que nunca foi feito. Mas vai dar certo!”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

4 × 3 =