Trabalho: Tendências da Mobilidade Global para 2023

Foto de Andrea Piacquadio em Pexels

A Mobilidade Global tem evoluído à medida que o mundo se torna mais interligado. As economias estão a tornar-se cada vez mais internacionais, e a mudança para o trabalho remoto e híbrido leva as organizações a poderem ter à sua escolha talento global e – com os valores certos – atraí-lo.

Neste sentido, a realocação de talentos, a ascensão do trabalho remoto e híbrido e as viagens de negócios, resultaram na necessidade de gerir forças de trabalho que estão distribuídas por todo o mundo. Todo este novo panorama está a transformar o mundo da mobilidade global e a Jobbatical, plataforma tecnológica que gere a alocação de colaboradores para empresas estrangeiras, reúne, para os leitores do Empreendedor as cinco tendências de mobilidade global que vão ganhar destaque em 2023:

Foto de Samson Katt em Pexels

1 | Nomadismo digital

À medida que o mercado de trabalho se torna mais móvel e digital, é inevitável ir além dos modelos tradicionais de carreira. Em 2023, o talento será encorajado a mudar para novas funções, tarefas, projetos, e muitas vezes para diferentes geografias. De acordo com a Deloitte, 72% dos executivos pensam que a capacidade dos seus trabalhadores para se adaptarem, reciclarem e assumirem novos papéis é o fator mais importante ou o segundo mais importante para navegar no futuro disruptivo do mercado de trabalho.

2 | Trabalho híbrido e remoto veio para ficar

A necessidade de trabalho flexível aumentou como resultado da pandemia global. 85% dos profissionais de recursos humanos inquiridos pelo Topia, em 2022, afirmaram esperar que os pedidos de trabalho à distância aumentem. E, em resposta, as organizações estão a definir estratégias de talento para se concentrarem no trabalho à distância. Embora o trabalho à distância traga muitos benefícios ao empregado e ao empregador, acrescenta desafios, complexidade e riscos que exigem que as organizações invistam em ferramentas e tecnologias concebidas para os mitigar.

Foto de Canva Studio em Pexels

3 | Equidade e inclusividade são as palavras de ordem

Os trabalhadores sentem um maior sentimento de pertença quando é dada maior ênfase à diversidade, equidade e iniciativas de inclusão. Um estudo da Deloitte partilhou que as mulheres representam mais de 40% da força de trabalho global. Os Millennials compreenderão 75% da mão-de-obra até 2025, e 59% estão dispostos a trabalhar no estrangeiro. Adicionalmente, ainda que a imigração tenha os seus desafios e obstáculos, o talento estrangeiro tem sido muito procurado por combater a escassez de talento e contribuir para uma maior diversidade cultural, de valores e de experiências.

Foto de Andrea Piacquadio em Pexels

4 | Aquisição e retenção de talentos

O combate à escassez de talento já não é novidade, e no ano de 2023 o desafio continua. A acrescentar a isto, surge ainda a preocupação de reter talento. Para assegurar a aquisição e retenção de talentos de topo é necessário que sejam asseguradas políticas de trabalho flexíveis e satisfeitas as exigências e necessidades dos trabalhadores. De acordo com um estudo de Topia Adapt 2022, 64% das pessoas forçadas a regressar ao escritório a tempo inteiro dizem ser mais provável que procurem um novo emprego. E entre milhões de desistentes todos os meses, 41% dos empregados dizem que a flexibilidade para trabalhar a partir de casa foi uma força motriz na sua decisão.

Foto de Ketut Subiyanto em Pexels

5 | Equilíbrio entre a vida pessoal e a vida profissional

Não é segredo que as prioridades dos funcionários se alteraram. Procuram cada vez mais um melhor equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal e uma existência mais feliz e fácil.  Por isto mesmo, a saúde, o bem-estar e a flexibilidade, são três pilares fundamentais para manter trabalhadores felizes e produtivos. O bem-estar deverá estar enraizado no tecido da cultura das empresas a todos os níveis, e não ser tratado como uma questão secundária.

Dado o atual panorama de guerra, alterações climáticas e crise, esperam-se em 2023 elevados recordes ao nível da imigração internacional, por isto, os países e o mundo do trabalho terão de estar preparados para receber e realocar inúmeros profissionais e dar-lhes boas condições de trabalho. Em Portugal, durante o ano de 2022, a Jobbatical já realizou mais de 300 processos de realocação. Globalmente, iniciou cerca de 6.000 casos de imigração de pessoas de 118 nacionalidades, deslocando-as para 22 países.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

3 × four =