Controle financeiro empresarial: como fazer de forma eficiente?

Imagem de mohamed Hassan por Pixabay

O empreendedorismo, seja para homens ou mulheres, exige alguns cuidados e muito, muito controle com as finanças. Por isso, o controle financeiro empresarial é muito importante para empresas de todos os portes, mas muitos gestores ainda não sabem o que fazer para otimizá-lo.

Pensando nisso, criamos este post para mostrar como é possível ter um controle financeiro eficiente seguindo alguns passos simples, mas que exigem dedicação. Quer conferir as dicas que separamos para você? Então, continue a leitura!

Dedique seu tempo ao planejamento

Quando se trata de empresas, devemos sempre lembrar de uma informação importante: qualquer estratégia de controle requer planejamento! A partir dele, o gestor consegue traçar planos de ação relacionados à gestão e às estratégias de precificação e investimento.

Um negócio abrange muitas pessoas, muitos setores, muitas movimentações financeiras e, consequentemente, muitas informações. Por isso, tratar o controle financeiro de qualquer jeito, sem estruturar um planejamento para lidar com pagamentos, recebimentos, fluxo de caixa e conciliação bancária, por exemplo, pode fazer com que a sua empresa se encontre em uma situação arriscada no futuro.

Lupa apontando para parcelas de um relatório de contas

Use um sistema ERP para cuidar do controle financeiro empresarial

O controle financeiro manual afeta a produtividade dos colaboradores, não é eficiente e está sujeito aos erros da equipe. Do outro lado, temos o controle financeiro automatizado do sistema ERP, que demanda menos tempo para deixar tudo em ordem e facilita a visualização e edição de informações.

O software de gestão empresarial do GestãoClick, por exemplo, possibilita o controle de:

  • contas a pagar e a receber;
  • fluxo de caixa;
  • conciliação bancária;
  • vendas;
  • boletos e notas fiscais;
  • estoque;
  • orçamentos e cotações.

Tudo é controlado por meio de um sistema intuitivo que tem tutoriais em cada módulo para ajudar os clientes. Veja, neste vídeo, como é fácil utilizá-lo.

Evite erros comuns

Você sabe qual é o maior erro de empresários iniciantes? Misturar as contas da pessoa física com a pessoa jurídica, ou seja, misturar as despesas pessoais com as despesas empresariais. O fracasso financeiro, em muitos casos, tem início com esse tipo de atitude.

Se você, empresário ou empresária, entender como evitar erros comuns, já estará mais perto de um controle financeiro empresarial eficiente. Por isso, considere:

  • separar as finanças pessoais e empresariais;
  • criar um fundo de reserva para casos emergenciais;
  • acompanhar o Fluxo de Caixa diariamente e realizar conciliações bancárias periodicamente;
  • definir o valor mensal do pró-labore para você e para seus sócios e nunca retirar mais do que a quantia estipulada;
  • precificar os produtos corretamente, tendo em vista os custos de produção e a margem de lucro ideal para pagar todas as despesas e manter o negócio em funcionamento;
  • mensurar resultados por meio de relatórios gerenciais;
  • fazer projeções financeiras.
homem apontando a curva de um gráfico

Acompanhe o Fluxo de Caixa

Em suma, a gestão financeira da empresa se baseia no acompanhamento do Fluxo de Caixa. Registrar todas — todas! — as movimentações financeiras é imprescindível para o controle financeiro empresarial, pois isso permite acompanhar, de perto, o que está acontecendo no negócio.

Daí a importância do Fluxo de Caixa: ele não só ajuda a entender de onde está vindo e para onde está indo o dinheiro, mas também ajuda a fazer projeções financeiras a médio e longo prazo.

Além disso, o acompanhamento das movimentações permite saber se os recebimentos estão em dia e se será possível realizar pagamentos nas datas certas sem transtornos.

Estabeleça quais são as despesas fixas e variáveis do negócio

Quanto o negócio precisa ter, mensalmente, para pagar todas as despesas fixas e variáveis?

Se a resposta para essa pergunta não está na ponta da sua língua, você precisa entender a importância de estabelecer os gastos fixos e variáveis do negócio a fim de saber qual valor é necessário para manter a empresa em funcionamento e otimizar o controle financeiro.

Veja alguns exemplos de despesas fixas mensais:

  • pagamento de funcionários;
  • contas de água, luz e internet;
  • aluguel;
  • honorários do contador.

Já os gastos variáveis podem ser:

  • quantidade de matérias-primas ou compra de mercadorias;
  • gastos com marketing;
  • fretes.

Vale lembrar que essas despesas variam de empresa para empresa, e o fluxo de caixa do seu negócio pode ajudar a identificá-las.

Enfim, vimos que é possível ter um controle financeiro empresarial eficiente, só é preciso se dedicar ao planejamento e seguir os passos mencionados acima. E se você quer otimizar ainda mais o controle financeiro, saiba agora mesmo como reduzir custos na sua empresa!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

7 + one =