Estudo Recomenda Priorizar Investimento em Recursos Digitais para Profissionais de RH

Foto de Freepik

Mais de 70% dos profissionais de Recursos Humanos (RH) identificam os desafios relacionados às pessoas e as lacunas de talento como os principais obstáculos que as empresas enfrentam atualmente, de acordo com o estudo “Creating People Advantage 2023: Set the Right People Priorities for Challenging Times”, realizado pela Boston Consulting Group (BCG) e pela World Federation of People Management Associations (WFPMA). O inquérito, que envolveu 6.893 líderes de pessoas em 102 mercados, destaca a importância de definir prioridades para enfrentar os desafios do ambiente de negócios global.

Os eventos globais desafiadores dos últimos anos, como a pandemia e suas consequências, destacaram a necessidade de as organizações definirem claramente as suas prioridades. O estudo alerta para desafios futuros, incluindo perturbações mais frequentes, crescentes lacunas de talento, mercados de talento menos fluidos e a procura crescente por transformação digital e inovação, especialmente em torno da inteligência artificial (IA).

“Os inquiridos reconhecem claramente que a melhoria em tópicos prioritários – como o planeamento estratégico da força de trabalho, a melhoria de competências e a adoção de IA – é importante para o sucesso contínuo das suas empresas, mas também que as suas capacidades atuais nessas áreas são muito fracas”, afirma Jens Baier, sócio sénior e diretor executivo da BCG, e coautor do relatório.

Apesar da necessidade contínua de tecnologia, apenas 35% dos profissionais de RH acreditam estar utilizando tecnologias digitais relevantes, e apenas 30% concordam que estão aproveitando dados e análises para antecipar desafios e lacunas de competências.

O estudo sugere que as organizações precisam investir de forma inteligente e proativa em tecnologia para antecipar e superar os desafios empresariais. O planeamento estratégico da força de trabalho, embora seja citado como um dos principais desafios atuais, ocupa apenas o 18º lugar em termos de capacidades atuais entre os 32 tópicos avaliados. “Priorizar o investimento proativo em recursos digitais e de dados é fundamental”, salienta Jens Baier.

O estudo destaca a necessidade de aquisição de talento e requalificação da força de trabalho, bem como a criação de valor por meio da IA. As recomendações incluem o uso de dados para planeamento preciso da oferta e procura de talento, melhoria na aquisição de talento, investimento em novas competências (upskilling) e requalificação (reskilling) da força de trabalho, criação de valor através da IA, e foco na gestão da mudança e desenvolvimento organizacional.

“O maior desafio envolve olhar para o futuro e planeá-lo. Ao mudar o foco para tópicos que geram resultados a médio e longo prazo, as funções de gestão de pessoas podem desenvolver as capacidades certas para moldar a agenda geral da gestão de pessoas da sua empresa de um modo verdadeiramente diferenciado”, destaca Philipp Kolo, sócio e diretor associado da BCG, e também coautor do relatório.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

five × three =