A formação como chave na retenção do talento

Foto de pch.vector no Freepik

As empresas deparam-se atualmente com muitas dificuldades em manter colaboradores e em reter talento. Este é um problema transversal a todos os setores e que exige às empresas a procura de novas estratégias. Neste artigo, Patrícia Andrade, National Training Manager da Adecco explica como a formação ajuda na retenção de equipas.

Com as crescentes mudanças no mercado de trabalho, é fundamental que as organizações conheçam as reais necessidades dos seus colaboradores, o que lhes podem proporcionar para garantir a sua permanência na organização e como desenvolver as competências a nível profissional e até pessoal.

A formação é a estratégia mais eficaz na retenção de talentos, sublinha Patrícia Andrade. “Quando uma empresa investe no desenvolvimento dos seus colaboradores, está a aumentar a satisfação, o engagement e, efetivamente, a sua performance”.

O investimento no desenvolvimento das competências irá permitir às organizações e respetivas equipas responderem às necessidades repentinas, gerirem a mudança da melhor forma e a aumentarem o nível de motivação, desempenho e resiliência destaca a responsável pela Adecco.

Patrícia Andrade explica em cinco passos para uma correta gestão da formação para a retenção do talento dentro das organizações:

1 | Identificar as necessidades de formação

É importante avaliar as competências e habilidades necessárias no desempenho das funções, de modo a identificar as necessidades de formação e a definir prioridades de acordo com os objetivos da empresa.

2 | Estabelecer planos de formação

Com base nas necessidades identificadas, a empresa deve estabelecer planos de formação que indiquem o tipo de formação, as competências a serem desenvolvidas, os objetivos de aprendizagem, o cronograma e os recursos necessários para a realização da mesma.

3 | Oferecer formação de qualidade

A empresa deve garantir que a formação oferecida atenda às necessidades dos colaboradores, o que se consegue através do uso de materiais didáticos atualizados, da oferta de atividades práticas e do acompanhamento do desempenho dos colaboradores durante a formação.

Foto de de standret no Freepik

4 | Incentivar a participação dos colaboradores

É importante encorajar a participação na formação, por meio de programas de reconhecimento e incentivos financeiros ou de carreira. Além disso, a empresa pode estabelecer metas de aprendizagem e de desenvolvimento que possam ser alcançadas pelos colaboradores durante a formação.

5 | Avaliar os resultados da formação

A empresa deve avaliar os resultados da formação, verificando se os objetivos foram alcançados e se os colaboradores desenvolveram as competências e habilidades necessárias. Uma avaliação que servirá para ajustar os planos e identificar as áreas que ainda precisam de ser aprimoradas.

Com a rápida evolução das tecnologias, é normal que as empresas procurem atualizar e capacitar os seus colaboradores para acompanharem a mudança e a desenvolverem conhecimentos do mundo digital, “cada vez mais necessários para exercer novas funções ou ocupar cargos de maior responsabilidade dentro da organização”, defende a responsável nacional da Adecco Training. Para Patrícia Andrade, este passo será ainda benéfico para as empresas que poderão manter-se atualizadas, eficientes e competitivas no mercado.

Com uma boa gestão da formação, o impacto na retenção de talento e o apelo ao recrutamento “serão bastante significativas as oportunidades de crescimento, flexibilidade e autonomia que oferecem às equipas” – o que ajuda a cativar novos talentos, vendo nas formações a vontade da empresa em promover uma cultura organizacional que potencialize o melhor de cada colaborador.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

8 + 4 =